13 de agosto de 2022
Campo Grande 30º 15º

100% Maria Bruaquer

Pantanal se curva à internet e faz até geração Z sentar no sofá

O bordão "100% Maria Bruaquer", que ressalta o amor dos espectadores pela personagem, é um exemplo do sucesso da novela das nove da Globo

A- A+


Maria Bruaca (Isabel Teixeira) desbancou os protagonistas e conquistou o posto de estrela máxima em Pantanal. Ela até divide o trono com o Velho do Rio (Osmar Prado), mas foi a única a levantar debates, angariar torcida e ser abraçada pelo público da web. O bordão "100% Maria Bruaquer", que ressalta o amor dos espectadores pela personagem, é um exemplo do sucesso da novela das nove da Globo nas redes sociais --especialmente entre os mais jovens.

Só na TV aberta, houve um crescimento de 25% de telespectadores de 15 a 29 anos em relação à antecessora, Um Lugar ao Sol (2021), segundo um levantamento feito pela emissora. Isso sem contar quem acompanha a trama pelo Globoplay --a facilidade das plataformas de streaming também costuma atrair os mais jovens.

O aumento nos números é comprovado com o sucesso do folhetim também na Internet. Especialistas ouvidos pelo Notícias da TV ressaltam que parte deste público vê a novela justamente por ter tido contato com postagens sobre ela na web. Trilha inversa à tradicional, em que as pessoas usavam as redes para comentar um folhetim que já acompanhavam anteriormente.


Acostumada a soltar a língua sobre qualquer tema, a geração Z se diverte ao atribuir suas próprias interpretações aos personagens. De certa forma, é como se eles se transformassem em uma espécie de José Leôncio (Marcos Palmeira). Os comentários, na visão deles, têm o poder de domar a narrativa "nem que seja pelo laço". De quebra, as opiniões ainda criam vínculos.

"Para você interpretar um meme, por exemplo, você precisa ter o domínio de outros textos. Ele não é só aquela piada, aquela unidade de sentido. O meme vai exigir que você conheça a novela, conheça a personagem. São muitas camadas de interpretação e essas camadas são compartilhadas nas redes. Isso dá ênfase no aspecto comunal do consumo da telenovela", explica Issaaf Karwahi, pesquisadora em comunicação digital na USP (Universidade São Paulo) e autora do livro De blogueira a influenciadora (2021).

Mas nem só o lado cômico --como a "regatinha" gasta de Guta (Julia Dalavia) e a semelhança impressionante entre Jove (Jesuita Barbosa) e o Woody, do desenho animado Toy Story (1995)-- é levado em consideração. Debates sobre questões relacionadas ao universo da novela, que vão desde a sustentabilidade no agronegócio até o relacionamento abusivo de Maria Bruaca, são propostos nas redes. 


"O meme permite amplificar muitas pautas. Pela simplicidade que tem na linguagem, ele consegue se propagar por muitos espaços. E isso é importantíssimo paro consumo nas redes e na Internet. A Internet tem esse aspecto de 'espalhabilidade', de conexão, de participação. Quando a novela sai da televisão e se espalha pelas redes, especialmente no formato de meme, que vai exigir uma participação ativa dos espectadoras, a gente tem a essência da Internet se conectando com a TV", completa a profissional.

Até o tradicional merchandising social --inserção de questões sociais e mensagens educativas nas telenovelas-- foi ressignificado. Issaaf cita Maria Immacolata Vassallo de Lopes, que definiu as telenovelas como as "narrativas da nação". Nada mais justo que uma obra que sintetiza tanto um país seja apropriada pelos espectadores, por meio de memes ou debates.