11 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

Um raio pode cair no mesmo lugar? Os mitos e verdades sobre raios

A descarga elétrica de um raio é mil vezes mais intensa do que a do chuveiro elétrico. Em média, todo ano, 130 pessoas morrem atingidas por raios no Brasil e 500 ficam feridas, e 9% das mortes provocadas por raios aconteceram quando a pessoa estava perto de uma árvore.

O que não fazer

Não fique embaixo de árvores, nem em abrigos abertos como barracas, varandas toldos; evite segurar objetos metálicos longos, como varas de pesca, tripés; não pratique atividades como empinar pipas, andar a cavalo, nadar; não ande de moto. O ideal é buscar abrigo em locais fechados. Se você não tem alternativa e não achou nada coberto, agache! Quanto menor a área, menor a área de contato com o chão.

Quando um raio atinge uma pessoa, ele passa por todo o corpo, atingindo regiões importantes. A descarga elétrica se espalha pela cabeça, ombros, desce pela coluna, surgem queimaduras na pele e o raio chega ao coração. O ritmo das batidas, que estava normal, fica irregular. A descarga pode queimar vasos sanguíneos do coração e danificar os músculos cardíacos. O coração para de bater, a parada cardíaca é longa e o coração não volta.

Mitos e verdades

Um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar? Muita gente acha que não, mas pode sim. O Cristo Redentor, por exemplo, é atingido pelo menos seis vezes por ano. E o guarda-chuva, atrai raio? Pode sim. Ele só protege da chuva.

Entre os mitos e verdades, o carro sempre causa dúvidas. Se você estiver fora do carro, o risco de ser atingido aumenta muito por causa da lateria que atrai a eletricidade. Se você ficar dentro do veículo, com janelas fechadas, você estará no local mais seguro na hora de uma tempestade.

Espelho não atrai raios. Você pode se olhar à vontade. Mas é importante desligar os aparelhos elétricos durante a tempestade, por exemplo. Isso porque o raio pode danificar eletrônico. Pode falar ao celular durante a tempestade dentro de casa.

Fonte: Bem Estar