02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

COVID-19

Há relação entre o coronavírus e o clima?

Confirmando as suposições, um artigo publicado nessa semana mostra evidências que o novo coronavírus se dissemina mais lentamente em altas temperatura e umidade. No entanto, existem outros fatores que influenciam a transmissão do vírus e devemos ficar ale

O novo coronavírus, classificado pelas autoridades como SARS-CoV-2 (Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2) e sua doença a COVID-19, está associado a um quadro de infecção respiratória que envolve tosse, falta de ar, febre e pode progredir para um quadro de pneumonia que, em pacientes já debilitados, pode levar ao óbito.

O artigo científico nomeado como “Alta temperatura e alta umidade reduzem a transmissão do COVID-19” relaciona as condições do tempo com a disseminação do novo coronavírus. O trabalho usou dados de temperatura e umidade de estações meteorológicas e do histórico de contaminação dos pacientes na China para analisar a relação entre eles. Os autores encontraram evidências de que altas temperatura e umidade diminuem a taxa de transmissão do novo coronavírus.

Esses resultados contribuem para um cenário de melhora no controle da pandemia no Hemisfério Norte com a chegada das estações mais quentes, mas não dão uma visão otimista para o Hemisfério Sul, já que no dia 20 de março iniciou o outono. No Brasil esta estação é mais fria e seca se comparado ao verão.

O prognóstico climático de outono/2020 emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia mostra que em Mato Grosso do Sul é esperado condição de chuva e temperatura ligeiramente abaixo do normal. Durante mês de maio, as massas de ar frio começam a atuar com maior intensidade, época em que as temperaturas costumam ter acentuado declínio. Entre o final de maio e decorrer de junho, as condições de ocorrência de geadas aumentam na parte sul do Mato Grosso do Sul, enquanto que a umidade do ar fica, em média, bastante baixa durante as tardes. Além disso, a Embrapa Agropecuária Oeste, através do seu sistema de previsão de geada, indica que existe alta probabilidade de ocorrer geada forte no mês de junho de 2020, em municípios da região sul de Mato Grosso do Sul.

No entanto, deve-se ter em mente que os fatores que influenciam a disseminação do vírus vão além da temperatura e umidade, uma vez que o tempo também dita os hábitos da população. Apesar da alta umidade contribuir para a diminuição da transmissão, em regiões tropicais com chuva intensa, as pessoas também tendem a se aglomerar em ambientes fechados para proteção, o que aumenta o contágio.

Em uma situação de pandemia, devemos manter a calma e seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde. A recomendação é ficar em isolamento social voluntário, saindo apenas quando extremamente necessário: ir ao mercado, farmácia ou à trabalho - quando não é possível trabalhar de casa. Se houver necessidade de sair, evitar aglomerações, locais fechados, manter uma distância segura das pessoas (cerca de 1 m) e não se cumprimentar tocando o outro.

A higiene pessoal é fundamental, lavar as mãos com água e sabão por 20 segundos e evitar colocar as mãos no rosto (olhos, nariz e boca). Álcool gel acima de 70% é indicado para a higiene das mãos na falta de água e sabão e para a limpeza de objetos e superfícies, como celulares, maçanetas, botões e mesas.

Fonte: Tempo.com