MS Notícias

tera, 02 de junho de 2020

ENTREVISTA

Reforma da Previdência de MS traz equilíbrio às contas públicas, diz Logen

O projeto de lei complementar que altera a previdência estadual (PLC 2/2020) foi aprovado em 1ª discussão com 14 votos favoráveis, oito contrários e uma abstenção

Por: REDAÇÃO21/05/2020 às 18:18
ComentarCompartilhar
Foto: Reprodução/Divulgação

Ao conceder entrevista nesta quinta-feira (21.maio) ao programa Tribuna Livre, da Rádio FM Capital, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, apontou que o projeto de Reforma da Previdência de Mato Grosso do Sul, que foi aprovado em 1ª votação pela Assembleia Legislativa, pode resultar em um equilíbrio nas contas públicas do Estado e pôr fim à diferença de tratamento entre os servidores.

“Atualmente, há um déficit de R$ 1 bilhão na previdência estadual e, ano após o ano, o Estado – ou seja, nós, contribuintes – precisa desembolsar recursos para suprir esse rombo. Dinheiro que poderia ser aplicado na construção de escolas e de hospitais e em infraestrutura de Mato Grosso do Sul”, ressaltou Sérgio Longen.

Ainda na entrevista, que foi concedida por telefone como forma de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19), ele reforçou que a proposta de reforma enviada à Assembleia Legislativa pelo Governo do Estado – que prevê a unificação da alíquota de contribuição em 14% para todos os servidores (ativos, aposentados e pensionistas) – traz equidade no tratamento do funcionalismo público.

“Nós, empresários, entendemos que todos os brasileiros devem ter o mesmo tratamento e isso vale também para os 82 mil servidores públicos estaduais de Mato Grosso do Sul. O déficit é crescente porque uns pagam muito, outros não”, analisou o presidente da Fiems.

O líder industrial também destacou a atuação da Assembleia Legislativa na discussão de pautas consideradas importantes pelo setor produtivo para o desenvolvimento econômico do Estado. “A Assembleia tem feito um trabalho brilhante e, de forma bastante democrática, discutido pautas muitas vezes indigestas. A Previdência é um problema do Estado e toda vez que se mexe nela, alguém sai perdendo, isso é inevitável, mas necessário”, concluiu.

O projeto de lei complementar que altera a previdência estadual (PLC 2/2020) foi aprovado em 1ª discussão com 14 votos favoráveis, oito contrários e uma abstenção. O texto unificando a alíquota de contribuição em 14%, já que hoje as alíquotas vão de 11% a 14%.

Cinco emendas foram apresentadas ao projeto original: uma delas é uma emenda coletiva dos deputados estaduais, que prevê que os descontos com a nova alíquota unificada sejam feitos somente a partir de janeiro de 2021. Os parlamentares enxergam este adiamento como um “alívio” para os servidores no ano de enfrentamento da crise do coronavírus.

Segundo o líder do governo na Assembleia, deputado Gerson Claro, o governador Reinaldo Azambuja viu esta proposta com bons olhos e deve sancionar o projeto com esta emenda. Na sessão desta quinta-feira, os deputados estaduais vão analisar a possibilidade de inclusão de uma 6ª emenda, apresentada pelos deputados Pedro Kemp e Lídio Lopes, que isenta aposentados que recebem até 3 salários mínimos do desconto de 14%.

 

Deixe seu Comentário

TV MS

15 de maio de 2020
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua referência em jornalismo no Mato Grosso do SulRua José Barnabé de Mesquita, 948
CEP 79100.200 - Vila Duque de Caxias
Campo Grande/MS
 (67) 99309.8172

Editorias

Institucional

Mídias Sociais

© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma