07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

JUSTIÇA | AQUIDAUANA

Ex-presidente do Conselho de Saúde de MS, é preso por estuprar afilhada

O suspeito teria estuprado a afilhada dos 8 aos 12 anos. A irmã dela também teria sido vítima. Prisão ocorreu na noite de ontem (22.jan.21) em Aquidauana, interior de MS

Leia também

• 'Professor amigo da família', aproveita para estuprar afilhada e irmã dela

• Presidente do Conselho de Saúde é suspeito de estuprar afilhada e outras duas meninas em MS

• Sob acusações de estupro, presidente renuncia cargo no Conselho de Saúde em MS

Foi preso ontem, (22.jan.21) à noite o professor de geografia, dirigente partidário e ex-presidente do Conselho de Saúde de Mato Grosso do Sul, Florêncio Garcia Escobar, de 55 anos, suspeito de estuprar a sua afilhada e a irmã dela em Aquidauana, no interior de Mato Grosso do Sul.

O suspeito teria estuprado a afilhada dos 8 aos 12 anos. Hoje ela tem 18 anos. A jovem disse à polícia, que mesmo após ir para Campo Grande, continuou sendo perseguida pelo padrinho. O caso foi tornado público após a família tomar conhecimento do fato no dia 7 de dezembro de 2020, quando a jovem teve uma crise de pânico durante jantar em que o suspeito esteve presente. Além da menina de 18 anos, a irmã dela, hoje com 15 anos, também teria sido vítima do professor.  

Apesar do escândalo vir à tona, grandes jornais ignoraram as denúncias contra o professor, ele só teve penalização após um grupo de mulheres de Aquidauana denunciarem o professor e o caso ser publicado aqui no MS Notícias. Sobre a prisão do professor, os jornais, porém, produziram reportagens.

A situação ocorre pois o suspeito, tem grande poder político e influência, já que atuava na liderança em várias entidades no estado. Além de dirigente sindical, possuía cargos na Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul e era, presidente no Conselho Estadual de Saúde de MS, entidade responsável justamente pela aprovação de políticas de enfrentamento a violência contra à mulher.

O Conselho não havia se manifestado sobre as acusações contra o então presidente até 11 de janeiro (quando a reportagem foi publicada no MS Notícias), apenas comunicou o afastamento do suspeito, em publicação na página do Facebook do Conselho, realizada em 13 de janeiro, porém, de acordo o documento o pedido de renúncia feito pelo suspeito ocorreu em 8 de janeiro, justificando que estaria se afastando por “razões de cunho pessoal”, sem citar o motivo. 

Em nota, o Conselho de Saúde de MS, disse que tomou conhecimento da denúncia contra o ex-presidente por meio da mídia. Veja abaixo a nota na íntegra: 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Conselho Estadual de Saúde informa que o senhor Florêncio Garcia Escobar renunciou a função de Conselheiro Estadual de Saúde e ao cargo de Presidente da Mesa Diretora por meio de um Termo de renúncia datado de 08 de janeiro de 2021, informando tratar-se de razões de cunho pessoal.

A Mesa Diretora do Conselho Estadual de Saúde tomou conhecimento pela mídia, da existência de um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Atendimento à Mulher – DAM, na cidade de Aquidauana, envolvendo o ex - conselheiro citado, no qual encontra-se em segredo de justiça.

Sendo assim, cabe ao Conselho Estadual de Saúde e aos seus membros o acolhimento da renúncia e as providências administrativas decorrentes da mesma, conforme definido no Regimento Interno vigente.

A atual presidência é indicação do Fórum dos Usuários/SUS a quem caberá a substituição do conselheiro para cumprimento do mandato até maio de 2021.

Ricardo Alexandre Corrêa Bueno

Vice-Presidente do CES/MS

PRISÃO

Ocorreu em cumprimento do mandado deferido pela Justiça, após pedido da delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM), Joice Ramos. Além de ser acusado pela afilhada e pela irmã dela, o suspeito também foi acusado em denúncia registrada, onde uma mulher, hoje com 38 anos, disse ter sido estuprada pelo suspeito quando ela tinha 15 anos, em 1998, quando Florêncio promoveu uma viagem com a família da vítima à uma praia em Guarapari (ES).

Na ocasião, a vítima acabou estuprada num imóvel, onde o homem também estava. A mulher disse que tomou coragem de denunciar o estupro após saber que pessoas teriam o denunciado. Florêncio era amigo da família da vítima. 

De acordo com a DAM, a prisão ocorreu na casa de Florêncio em Aquidauana. Ele não resistiu à prisão, mas disse que só falaria na presença de seu advogado.

O MS Notícias vem tentando contato, sem sucesso, com o suspeito, para que ele possa se pronunciar. O espaço fica aberto para futuros posicionamentos.