16 de setembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

RELAÇÕES CRIMINOSAS

Policial e funcionárias da Saúde em presídio mantém caso e trocam nudes com presos

A descoberta foi feita durante operação realizada entre a sexta-feira (22.jan) e o domingo (24.jan.21) no Penitenciária Estadual de Dourados (PED) de Dourados

A- A+

Foi descoberto durante realização de vistorias em celas na Penitenciária Estadual de Dourados (PED), cidade no interior de Mato Grosso do Sul, que um preso mantinha caso amoroso com um policial penal e também que funcionárias da Saúde da Prefeitura de Dourados, teriam enviado nudes à internos. A descoberta foi feita durante operação realizada entre a sexta-feira (22.jan) e o domingo (24.jan.21). 

O detento perigoso condenado a mais de 25 anos de prisão usava celular para se comunicar com o policial, ambos mantinham um caso amoroso, confirmou a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio de nota. 

O caso veio à tona após denúncia do site Tempo MS, que diz que o policial é homossexual. O disse ainda que o policial foi afastado para setores administrativos após a descoberta e o preso foi enviado para o chamado “castigo”, em cela. “Durante a operação, foi identificado também contato do interno com um servidor penitenciário. Diante da constatação, o servidor foi imediatamente afastado do serviço e colocado à disposição (para ser transferido da PED). O caso foi encaminhado à Corregedoria da Agepen para apuração e demais providências necessárias. O interno foi isolado em cela disciplinar e vai responder pela falta grave cometida (uso de celular)”, disse a Agepen. 

O preso que se relacionou com o policial é conhecido como CG e classificado com indivíduo perigoso.

No setor da Saúde do presídio, a troca de nudes foi entre funcionárias da Secretaria de Saúde da prefeitura de Dourados. Segundo o site tempo MS, as servidoras eram cedidas ao Sistema Penitenciário para atuação na PED. Em Nota, a Agepen disse que as servidoras não eram funcionárias da PED. De acordo com a Agência, eram: “profissionais de outro órgão que prestam serviços na unidade prisional. Elas foram colocadas à disposição da secretaria a qual estão vinculadas, para providências”, rebateu. 

As funcionárias mantinham conversa, a Agepen não informou por quanto tempo, com internos através dos atendimentos no setor de saúde. As conversas acabaram se transformando em relacionamento de amizade e logo, em troca de imagens íntimas.

A Prefeitura de Dourados, disse ao MS Notícias que ainda não foi comunicada oficialmente sobre a situação. “A Secretaria Municipal de Saúde de Dourados informa que ainda não foi comunicada oficialmente do possível fato dentro da Penitenciária. Ressalta ainda que a Secretaria não recebeu, até o momento, qualquer ofício da Agepen comunicando tal fato. Mesmo assim, a Secretaria informa, que independente de notificação, vai pedir uma apuração dos fatos”, esclareceu, por meio de nota. 

A administração do Sistema Penitenciário, esteve reunida com o Secretário de Saúde de Dourados e as servidoras foram devolvidas. O convênio deve ser mantido e as servidoras substituídas. “Importante ressaltar que a direção da PED tomou todas as providências e conduziu o caso de forma técnica, identificando o problema e realizando todos os encaminhamentos necessários”, finalizou.

A PED é a segunda maior penitenciária de Mato Grosso do Sul e abriga atualmente em torno de 2.700 internos ou mais. Grande parte deles integrantes de facções e apontados como de alta periculosidade.