16 de agosto de 2022
Campo Grande 33º 23º

GUERRA | INTERNACIONAL

Sete caças chineses invadem céu de Taiwan

Desde 1955 existe um acordo tácito entre a China e Taiwan para não cruzar a linha

A- A+

O Ministério da Defesa de Taiwan disse nesta quarta-feira (3.ago.2022) que 27 aviões de guerra chineses invadiram a zona de identificação de defesa aérea de Taiwan (ADIZ), incluindo 22 que violaram a linha mediana. Os avanços ocorrem no mesmo dia em que a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, esteve na ilha.  

As invazões ocorreram às 11h15 de MS (21h15 horário de Taiwn). As aeronaves foram identificadas como seis caças Shenyang J-11, cinco caças Shenyang J-16 e 16 caças Sukhoi Su-30.

Os cinco caças J-16 invadiram o canto sudoeste do ADIZ perto da linha mediana, enquanto os seis caças J-11 e 16 caças Su-30 cruzaram a linha mediana, voaram brevemente paralelamente à linha enquanto no lado de Taiwan antes de reentrar no lado chinês.

O MND disse que respondeu enviando aeronaves de patrulha de combate, emitindo alertas de rádio e implantando sistemas de mísseis de defesa aérea.

As invasões ocorreram no último dia de Pelosi em Taiwan, onde ela se encontrou com membros do Yuan Legislativo, presidente Tsai Ing-wen (蔡英文), executivos do TSMC e ativistas de direitos humanos. Acredita-se que o aumento do número de aeronaves militares chinesas entrando em áreas mais profundas da ADIZ e os quatro dias de exercícios de tiro ao vivo do PLA programados para começar na quinta-feira (4 de agosto) sejam a resposta de Pequim à visita de Pelosi.

Desde 1955, existe um acordo tácito entre a China e Taiwan para não cruzar a linha mediana, também conhecida como David Line. No entanto, em 21 de setembro de 2020, Pequim negou subitamente a existência da linha mediana no Estreito de Taiwan.

No outono de 2020, as aeronaves da Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) cruzaram a linha mediana em algumas ocasiões e entraram no ADIZ de Taiwan. Nos últimos dois anos, houve outros incidentes em que as aeronaves da PLAAF cruzaram a linha mediana, mas ainda é uma ocorrência relativamente rara.

Ainda nesta 4ª feira (3.ago), o governo do presidente Xi Jinping anunciou a imposição de sanções a Taiwan.

mostramos aqui no MS Notícias que Taiwan é governada de forma independente desde 1949, depois de uma guerra civil. Incentivado pelo autocrata russo Vladimir Putin, a China resolveu nesse ano que Taiwan deve voltar a ser parte do território da China.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse na 3ª feira (2.ago) que a visita de Pelosi a Taiwan elevou as tensões na região e terá “impactos severos”

Wang afirmou tratar-se de uma “provocação política aberta, que põe em risco a soberania do país asiático”.

“Isso prova novamente que alguns políticos dos EUA se tornaram os ‘encrenqueiros’ das relações China-EUA e os EUA se tornaram o ‘sabotador’ número 1 da paz e estabilidade do Estreito de Taiwan” , completou.

Para o embaixador da China nos EUA, Qin Gang, a visita de Pelosi a Taiwan representa “uma violação grave do princípio de uma só China e das disposições dos 3 comunicados conjuntos sino-americanos”.