05 de dezembro de 2021
Campo Grande 33º 23º

Em meio à modernidade, baile de carnaval de clube sobrevive em Campo Grande

A- A+

Os bailes de carnaval em clubes com as típicas marchinhas são uma raridade nos tempos atuais. Não existem mais as aglomerações e matinês, muito menos pessoas fantasiadas pulando e fazendo estripulias em clubes.

O Clube Estoril sempre realizou os típicos bailes de carnaval, com noites com até cinco mil pessoas, e com 40 toneladas de frutas para os carnavalescos. Até a TV Bandeirantes com o programa “Mares do Sul” participou do baile e celebridades como a Garota de Ipanema, Helo Pinheiro e Gilmar, ex-goleiro da seleção, além de outras já participaram.

Em meio a muitas histórias e risadas juntamente com o diretor social do clube, José Reis, com o DJ JB (João Bosco) e com o presidente Fernando Santos Gonçalves, admitem que ainda realizam a “Noite das Marchinhas” porque os sócios pedem e participam, pois, se depender da população em si, não há o porque fazer, visto que, a maioria prefere o carnaval de rua ou viajar para outra cidade.

“Aqui ainda usam fantasias, famílias participam, há decoração e é claro, há as marchinhas carnavalescas”, conta o diretor. Além das marchinhas, que foram mixadas para dar mais entusiasmo as pessoas, músicas que marcaram a época de 1980 e 1990 não podem faltar. “Tim Maia, Ivete Sangalo, Banda Eva são essenciais, além dos samba-enredos da Portela, Beija-Flor e outras escolas.” As clichês, ALLAH-LA-Ô, Quem tem dinheiro aí? Quem roubou minha cueca? Não  faltam no repertório, afirma o DJ JB.

Essa festa promovida pelo Clube Estoril remetem as pessoas a uma época que não existe mais, e por esse motivo, acredita o presidente, que cerca de cinco clubes vão fazer o tradicional Baile das Marchinhas, esses cinco somente com o JB.

Os coordenadores lamentam as atitudes que o poder público tem tomado em relação a festa. De acordo com eles, o poder público não os incentiva. O que eles mais gostariam é de voltar com todos os cinco dias de festa. Nos últimos quatro anos, com a redução para um dia apenas de festa, o Clube recebe cerca de 1.100 pessoas.

A conversa se encerra com a frase “Tempo bom que não volta mais”, dita por José Reis, e JB e Fernando concordando.

Este ano, serão duas noites de festa, no dia 28 de fevereiro e 03 de março, a partir das 20h30.

Tayná Biazus