29 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 20º

Bairro Nova Lima além de terrenos abandonados possui vias intransitáveis

O técnico em eletrônica, Marcos Henrique Franco, 42, está com sua residência cercada de terrenos baldios que estão tomados por mato alto, além de ser depósito de lixo e ponto para usuários de drogas.

Marcos mora na Rua dos Poetas, no bairro Nova Lima, e em frente a sua casa há um imóvel particular, que está cercado. De acordo com o técnico, há alguns anos era feita a limpeza, porém, agora, o dono “abandonou” o local. Além disso, no lado direito e esquerdo de sua casa, também há mais dois terrenos, sendo que, nesses também não são realizadas as limpezas necessárias.

Nesta segunda-feira, um dos lotes teve o mato alto cortado, após um ano. “Por incrível que pareça, limparam esta semana. Mas tem essa casa abandonada que reúne usuários, além disso, já entraram nas casas que fazem divisa com o terreno. Os assaltantes entram por aqui”, afirma.

Já no lado direito, o terreno, também particular, está com o mato alto. Marcos mora no local há três anos, e de acordo com ele, nunca houve a manutenção do local. Os terrenos além de acumular lixo, juntam animais como cobras, escorpiões, ratos, que entram na casa. “Já achei escorpião dentro da minha casa e já encontrei cobra aqui no pátio. É perigoso pra gente ter contato com esses bichos”, lamenta Marcos. Nesse imóvel Marcos e sua vizinha já realizaram a limpeza.

O bairro Nova Lima, possui diversas ruas com inúmeros terrenos abandonados. A população reclama, pois alguns proprietários nunca limpam. Mas não é somente esse o problema. As vias do bairro estão em condições precárias. Os carros deslizam nos pedregulhos e em dias de chuva, em algumas ruas não é possível passar com o carro, já outras inundam.

A avenida Cândido Garcia de Lima, está precária. Há um canteiro que divide as duas faixas de sentido contrário. Nesse canteiro, além do mato, há também muito lixo. “Essa rua agora está boa porque não choveu. Quando chove, não passa ninguém, os carros atolam, além de a água ficar alta”, disse a técnica em enfermagem Zilma da Costa Oliveira, 36.

A técnica reside no local há 19 anos. Ela contou que para desviar da lama os carros utilizam as calçadas. Há alguns dias, foram despejados cascalho e isso piorou, pois as motos, bicicletas e carros derrapam na avenida.

De acordo com Zilma, muitos comerciantes estão apenas esperando o asfalto. “Já começaram a reformar algumas salas, vai ter pizzaria, comércio, mas só após vir o asfalto pra cá”.

A linha de ônibus não passa na avenida, e sim na rua Padre Antônio Franco, rua atrás da avenida, pois nessa rua há o asfalto e conseqüentemente mais comércio. “Dizem por aqui que os comerciantes que pediram a linha de ônibus nessa rua, porque facilita para a população”, finaliza.

Tayná Biazus