25 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

DIA DO TRABALHADOR

Campo Grande celebra o Primeiro de Maio entre as capitais brasileiras que mais criam oportunidades

A prefeita de Campo Grande reforça que o trabalho é o fator principal que motiva a todos a seguir batalhando e superando tantos desafios para chegar mais longe

A- A+

Nesta segunda-feira, 1º de maio, data em que se comemora o Dia do Trabalhador, importante marco que celebra a luta por melhores condições de trabalho, salário justo e respeito aos direitos trabalhistas, a Prefeitura de Campo Grande reafirma seu compromisso na valorização dos trabalhadores, geração de renda e promoção da dignidade humana através de oportunidades de emprego e renda.

“Hoje quero manifestar aqui meus parabéns a todos os trabalhadores. O trabalho de vocês, o esforço de cada um, é o que consolida nossa cidade como uma capital de oportunidades. E me sinto muito grata e feliz por dedicar o meu trabalho e vida nessa missão de contribuir para proporcionar ainda mais oportunidades a todos em Campo Grande”, destaca a chefe do Executivo Municipal Adriane Lopes.

A prefeita de Campo Grande reforça que o trabalho é o fator principal que motiva a todos a seguir batalhando e superando tantos desafios para chegar mais longe, ampliar horizontes e garantir a Campo Grande o protagonismo que ela merece.

OPORTUNIDADE PARA TODOS 

Novas perspectivas têm sido oportunizadas pela Administração Municipal, através da Fundação Social do Trabalho (Funsat), que oferece, de maneira permanente, diversos serviços, como encaminhamento para vagas de emprego, orientação profissional, qualificação e capacitação profissional, inclusive, por meio de ações itinerantes, descentralizando os atendimentos realizados pela Fundação.

“Temos trabalhado diariamente, firmando parcerias e colocando em prática ações que fomentam a economia e contribuem na construção dessa ponte entre as vagas e quem precisa. Nesse sentido, os feirões e as ações nos bairros têm trazido excelentes resultados, chegando a todas as sete regiões da cidade com ofertas de empregos formais e de qualidade, itens essenciais para a promoção do desenvolvimento econômico da capital e melhoria das condições sociais da população”, ressalta Adriane Lopes.

Para quem chega de outra cidade para buscar em Campo Grande uma nova oportunidade de vida, nem sempre é fácil encontrar um emprego quando não se tem contatos ou amigos. Esse é o caso de Luiz Paulo Souza, 30 anos, professor de inglês que chegou a Capital em novembro do ano passado. Natural de Guaíra, assim que desembarcou na Cidade Morena, o paranaense já ficou sabendo dos serviços da Fundação Social do Trabalho de Campo Grande, que poderiam ser para ele a solução de imediato.

“Quando fui até Funsat, nem imaginava que haveriam vagas para professores de inglês. Fui fazer cadastro e no mesmo dia uma empresa se identificou com meu perfil profissional. Em duas semanas, após o treinamento da escola de inglês, já comecei a dar aulas. Fiquei impressionado com a velocidade de todos os trâmites. Estou realizado e feliz”, conta Souza.

Em média, diariamente a Funsat oferece em torno de mil vagas de emprego para as mais diferentes profissões de todos os nichos empregatícios. Só nos primeiros três meses do ano, a Fundação encaminhou 7.123 pessoas para o mercado de trabalho, ofertou 3.394 vagas, das quais 248 eram destinadas a pessoas com deficiência (PCD), além da realização de cursos de capacitação que, somente neste ano já certificaram quase 300 pessoas, qualificando-as para uma profissão e geração de renda.

Para muitas das vagas disponibilizadas pela Funsat não há a necessidade de experiência prévia, no entanto, experiência é o que não falta para Ruben César Ribeiro, 44 anos, e morador do Parque Dallas. Servente de pedreiro desde muito jovem, ele relata que mora em Campo Grande há 23 anos, vindo de Londrina – PR.

Passou um tempo morando no município de São Gabriel do Oeste, porém, teve que retornar para a Capital para cuidar do pai que ficou doente e viu na Funsat a maneira mais rápida e segura de encontrar um trabalho em caráter de urgência.

“Rapaz (sic), na hora fui chamando para trabalhar em uma empresa de plantel de eucaliptos. Eu decidi apostar na ocupação que surgisse até que a oportunidade desejada chegasse. Eu fazia os canteiros e cuidava das mudas que depois iam para as plantações das florestas. Fiquei um mês e meio lá, mas eu gosto mesmo é de obras. Procurei novamente a Funsat e no outro dia já comecei a trabalhar na construção de uma casa que será abrigo de crianças abandonadas. É o que costumo dizer, só fica parado quem quer”, afirma Ribeiro.

Outra ferramenta de auxílio na promoção de qualidade de vida através do trabalho é o Programa Assistencial de Inclusão Profissional (Proinc), que atende a Prefeitura em 11 eixos de demandas, como por exemplo, serviços de limpeza, de manutenção, roçada, ou ações de consertos em dispositivos públicos e atende o beneficiário com uma renda de salário mínimo, cesta básica mensal, vale-transporte e alimentação no horário de trabalho. Neste momento, na Capital há 2,1 mil beneficiários assistidos pelo programa.

Prefeita Adriane Lopes 


MAIS EMPRESAS MAIS EMPREGOS

Dados da edição de março de 2023 do Boletim Econômico de Campo Grande, divulgado pela Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), apontam que o número de empresas em Campo Grande continua em crescimento. São 121.069 CNPJs ativos com atividade mercantil, ou seja, com fins lucrativos, conforme dados da Receita Federal. O número representa um crescimento de 9,68% frente a março de 2022, demonstrando a resiliência da economia municipal e o espírito empreendedor do campo-grandense.

Ainda conforme levantamentos da Sidagro, no mês de março foram geradas 1.098 vagas com carteira assinada, em Campo Grande. Em números absolutos, serviços foi o setor que mais gerou, com 514 vagas, em números proporcionais, a agropecuária é responsável por 2,08% do montante.

Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) colocam Campo Grande entre as 10 capitais brasileiras com maior nível de geração de empregos. Considerando os dois primeiros meses do ano, o relatório aponta a capital sul-mato-grossense como a sexta no ranking, superando Vitória-ES, Macapá-AP, Recife-PE e Cuiabá-MT, capitais que também compõem o top 10.