26 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Hospital Regional recebe hoje 39 residentes

Acontece neste momento o acolhimento de 39 médicos residentes vindos de diferentes localidade brasileiras para atuar pela rede pública estadual de saúde. Desses profissionais, 28 são residentes médicos que irão atuar dentro das 11 especialidades do HR (Hospital Regional), como oncologia e pediatria e os outros 11 residentes farão parte do programa multiprofissional do Estado, que são profissionais fisioterapeutas e enfermeiros, por exemplo.De acordo com a diretora de ensino e pesquisa, Magali Sanches Machado, 49, após o término da residência, esse profissionais são absorvidos pela rede pública estadual de saúde. Para Magali a vantagem é que com o treinamento oferecido aos residentes o mercado também sai ganhando, pois haverá mais profissionais qualificados nas respectivas áreas. Para o diretor presidente do HR, Rodrigo de Paula Aquino, a importância da residência hoje se da pelo fato do Estado poder qualificar a mão de obra do profissional que ele mesmo vai usufruir após o término da residência. O diferencial do Estado é que, o governador André Puccinelli (PMDB), assinou um decreto onte o próprio Estado pague pela preceptoria. Os médicos profissionais do HR poderão desempenhar o seu trabalho, além de, em contato com os residentes fará também o trabalho acadêmico. Além de Mato Grosso do Sul, somente o Rio de Janeiro e um estado nordestino possuem esse programa, onde os residentes ingressam através de concurso. Isso faz com que os médicos tenham mais estímulo e melhores condições para desempenhar o trabalho. Esses residentes irão receber uma bolsa no valor d R$ 2.870,00, custeada meno Ministério da Saúde juntamente ao MEC (Ministério da Educação). Em alguns casos, caso haja a necessidade de receber mais profissionais, o governo estadual ajudará no custeio. O HR possui hoje 107 residentes, 69 da área médica e 28 deles da área multiprofissional. O programa de residência foi implantado no ano de 2002, e de acordo com Rodrigo, o hospital hoje está em situação favorável, pois não existe demanda de mão de obra, além de contar com 1.800 colaboradores que ajudam a atender a demanda. Novas contratações seriam bem vindas para que os médicos atuais façam menos horas extras e menos plantões, porém, o diretor deixa claro que os médicos que o HR possui hoje são suficientes. O governo do estado juntamente com o conselho de medicina tem estudado a possibilidade de abris um concurso ainda este ano para que médicos profissionais ingressem na rede pública estadual. A residente Andrezza Louise Ribeiro,25, formada pela Uniderp, fará usa residência em cirurgia geral, assim como o goiano Pablo Edson Rosa, 27. Ambos estão muito felizes por ter conseguido a aprovação no concurso para residentes e a escolha do HR foi devido as indicações feita por médicos amigos e outros estudantes. Para eles, o hospital possui uma ótima infraestrutura que possibilita um bom atendimento a população. Tayná Biazus e Heloísa Lazarini