22 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 20º

ESTAVA DESAPARECIDO

Sem reconhecer os filhos e ferido; após 24h família encontra paciente liberado pela Santa Casa

Família acusa hospital de irresponsabilidade e de ter amarrado paciente. Quadro de saúde do homem se agrava

Leia também

• Santa Casa dá alta a paciente e família diz que não foi avisada; homem está desaparecido

• Santa Casa diz que paciente estava consciente orientado e por isso foi liberado

Josué Batista Nascimento, de 53 anos, que foi liberado na tarde do dia 24 de novembro da Santa Casa de Campo Grande e estava desaparecido desde então, foi encontrado na manhã desta 5ª-feira (26.nov) após a família procurá-lo incessantemente por mais de 24h. O homem, segundo a família, estava todo sujo, com ferimentos embaixo da axila, provocado pelo atendimento na Santa Casa e sem saber quem eram os seus próprios filhos. A Santa Casa havia justificado que para liberar o paciente sem acompanhante constatou que ele estava consciente e orientado, mas a família nega, diz que o Hospital foi irresponsável ao liberar Josué e dizer que ele estava ‘bem’, além disso dizem que os ferimentos no homem foram provocados pelos atendentes da unidade que teriam amarrado o homem.  

Josué foi internado no dia 16 de setembro na Santa Casa, após ter um Trauma cranioencefálico (TCE) provocado por queda da própria altura. “Ele estava andando em um dia chuvoso e caiu, aí levamos no Hospital, ele ficou lá depois mandaram ele para Casa, a ex-mulher dele foi acompanhá-lo, porém, dessa vez [dia 23.nov] ele voltou lá com dores, mas o liberaram no dia seguinte sem nem avisar os familiares, são uns irresponsáveis”, disse uma parente.

O homem estava perambulando nas proximidades do Bairro Amambaí, próximo a Rodoviária Velha, local aonde uma pessoas reconheceu Josué e acionou a família, que saiu por volta da 00h de ontem para procura-lo, só o encontrando hoje pela manhã. Aos prontos lamentando a situação do irmão, o artista plástico Levi Batista se disse indignado com a posição e atitude, segundo ele, irresponsável e desumana do hospital. “Olha para você ver o estado, as condições do meu irmão, estava perambulando, isso é para você ver a irresponsabilidade daquele povo da Santa Casa... eles transmitiram que ele estava em sã consciência, mas é uma mentira o cara estava sem reconhecer a nós próprios, umas tristeza ver meu irmão submetido à isso”, manifestou Levi. 

Esse é Josué Batista Nascimento Esse é Josué Batista Nascimento. Foto: DR | MS Notícias 

Na noite de ontem, enquanto ajudava na busca por Josué, uma irmã de sua esposa contou ao site a situação anterior a ida dele, pela 2ª vez para Santa Casa. Ouça:

MS Notícias · Homem desapareceu após receber alta sem acompanhante da Santa Casa

Após ser encontrado pela família Josué foi levado a UBS da família, onde os profissionais de saúde identificaram rapidamente o quadro de infecção generalizada e liquido no pulmão, tendo que ir para uma Unidade de Pronto Atendimento 24h. “O médico mandou correr com ele que o caso é grave”, relatou o familiar.

Segundo a família a irresponsabilidade da Santa Casa pode custar a vida de Josué. "Eles fizeram isso embaixo do braço dele, eu acho uma desumanidade, um hospital daquele porte fazer isso com as pessoas... meu irmão corre ainda mais risco agora por conta da irresponsabilidade desse hospital", finalizou Levi. (Caso queira ver as IMAGENS são fortes - Clique aqui).

O MS Notícias procurou o Hospital para entender o que há de errado na afirmação de que o homem estaria consciente e orientado, no enteando, foi encontrado perambulando pelas ruas sem direção e sem reconhecer os parentes. A reportagem também perguntou se os ferimentos mostrados nas imagens acima de fato foram causados pelo hospital ter amarrado o paciente. 

Em resposta, a Santa Casa disse que todos os cuidados relacionados ao paciente em questão, foram feitos, seguindo rigorosamente os protocolos que visam a Segurança do Paciente e a Prevenção de Quedas. "Em caso de dúvida, a família poderá procurar diretamente o hospital, que está à disposição", respondeu a assessoria do Hospital.