21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

Suspensão da coleta de lixo precisa de intervenção contratual, defende vereadora

A- A+

A Vereadora Luiza Ribeiro (PPS) defendeu hoje  (8)   a intervenção administrativa da Prefeitura Municipal de Campo Grande no contrato com o Consórcio CG Solurb, em função  de mais uma paralisação dos serviços  de coleta de lixo no município.

Conforme Luiza Ribeiro, a intervenção garante a estabilidade no serviço considerado essencial na cidade. Segundo a vereadora, o ato pode ser feito quando acontece inconstância no serviço público, como o que está ocorrendo agora. “Esse contrato é duvidoso e deveria ser anulado. Alguma coisa tem de ser feita urgentemente. O que não podemos  é deixar as ruas de Campo Grande cheia de  lixo, prejudicando a população e o comércio da cidade,”, opina a parlamentar.

Opositor da gestão Bernal, Airton Saraiva (DEM)  disse que o prefeito  tem de ter um entendimento definitivo com a prestadora de  serviço  e fazer uma “boa” administração. “ Esses serviços essenciais  não podem parar de forma alguma. Se tiver de fazer alguma coisa que faça, que não fique  trabalhando na base da ameaça”  dispara o vereador.

De acordo com Luiza Ribeiro,há previsão legal  para que a prefeitura faça a intervenção no contrato, que segundo ela tem de ser feita por meio de decreto do prefeito. “ Em situação menos especial do que esta, o prefeito Nelson Trad, fez a intervenção na Santa Casa que perdurou por oito anos. A cidade precisa de serviços públicos de limpeza urbana, prestado de forma plena e continuada. Garantindo saúde pública e estabilidade às pessoas e aos negócios”, reitera, a vereadora .

Pagamento

Os mais de 1.080 trabalhadores  da Solurb  reivindicam o pagamento dos  salários referente ao mês de setembro, e o ticket alimentação de R$ 372 que deveria ser pago no último dia 1º de outubro.  A empresa informou que  não há dinheiro disponível para fazer o pagamento. Em resposta, a prefeitura da Capital divulgou uma nota informando que os trabalhadores da Solurb receberão por meio de depósito judicial no valor de R$ 1.568.800, referente ao mês de setembro.