19 de janeiro de 2021
Campo Grande 27º 21º

Vendedores ambulantes pedem pela regularização do trabalho nos terminais da Capital

Os vendedores ambulantes que atuam nos nove terminais de Campo Grande se organizaram e criaram a Associação de Terminal de Transbordo em maio do ano passado. De acordo com a presidente da associação, Custódia Gomes, 51, a entidade já possui 105 associados.

A classe luta pela regularização da categoria para trabalhar dentro da legalidade. “Nós queremos pagar uma taxa para a prefeitura e os mesmos direitos da lanchonete. Tem espaço para todos trabalharem porque a gente se organiza em horários alternados”, explicou Custódia. Segundo ela, a associação já conversou com o vereador Coringa (PSD) que apresentará projeto de lei para regularizar a categoria na próxima terça-feira.

O vereador Eduardo Romero (PT do B) que fez um levantamento sobre o sistema municipal de transporte coletivo em Campo Grande e identificou diversas cláusulas do contrato com a prefeitura que o ‘Consórcio Guaicurus’ que estão sendo descumpridas, opinou sobre a presença dos vendedores ambulantes nos terminais. “Ou regulamenta ou tira. O problema não é vender, são as estruturas colocadas lá que podem impedir o trânsito de passageiros”, declarou.

Já o vereador Coringa afirmou em plenário que pretende abraçar a causa da categoria. “Tem que chamar para audiência pública e se preciso fazer uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Transporte Público. Tem ônibus vindo de São Paulo falando que é novo. Os terminais precisam ser mais cuidados e precisa regularizar os vendedores ambulantes”.

Diana Christie