29 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

Adiado o prazo para entrega do relatório final da CPI da Saúde

Tayná Biazus

Na manhã de hoje após a sessão da Assembleia Legislativa os deputados que compõe a mesa da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde que investiga possíveis irregularidades na terceirização de serviços realizados com verbas repassadas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) se reuniram para decidir se o diretor-presidente do Consórcio Telemídia e Technology International, Naim Alfredo Beydoun, e seu ex-sócio, Rui Thomas Aquino, que faltaram à oitiva que aconteceu na segunda-feira vão ser convocados novamente.

De acordo com o presidente da CPI, o deputado estadual Amarildo Cruz (PT), na reunião não foi decidido se a CPI irá convocar novamente aqueles que faltaram e outros, pois os parlamentares pediram novos documentos e só na semana que vem, após eles averiguarem os papéis é que poderá ser tomada alguma decisão.

Para o deputado e vice-presidente da comissão, Lauro Davi (PROS), nesta faze em que a CPI se encontra não há motivos para haver novos depoimentos daqueles já ouvidos. “Chamar novamente algumas pessoas para participar das oitivas é só pra tentar explicar o inexplicável”, frisou o parlamentar.

Estão sendo investigados o Hospital Regional de MS, a Santa Casa, o Hospital Universitário e Hospital do Câncer, nos últimos cinco anos. Também foram averiguadas as unidades hospitalares de Corumbá, Paranaíba, Dourados, Três Lagoas, Jardim, Coxim, Aquidauana, Nova Andradina, Ponta Porã e Naviraí.

A CPI foi prorrogada por mais 30 dias para o fechamento do relatório final, mas a expectativa da mesa é que antes desse período o relatório seja fechado.