08 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 17º

Alceu Bueno será julgado hoje sobre processo de compra de votos

Será julgado hoje o recurso eleitoral do vereador Alceu Bueno, presidente regional do PSL, que é acusado de comprar votos em 2012 para se eleger. Alceu perdeu o primeiro julgamento e ingressou com recurso, que deveria ter sido julgado ontem, mas foi adiado a pedido do advogado do vereador.Alceu está sendo acusado de trocar votos por combustível. De acordo com denúncias feitas junto ao MPE (Ministério Público Estadual), o vereador comprou mais de 500 votos e gastou mais de R$ 100 mil no esquema, que foi delatado por dois ex- assessores de Alceu Bueno. Depois das denúncias, o vereador, inclusive tentou coagir os antigos assessores no intuito de obrigá-los a mudar seu depoimento perante a justiça. Esta, no entanto, não é a primeira ação irregular cometida pelo vereador. Gravações de telefonemas comprovam que Alceu Bueno cobrou, em 2012, taxas como forma de “pedágio” no valor de R$ 10 mil dos dirigentes municipais do PSL no interior pudessem formalizar coligações com outros partidos para disputar a eleição deste ano. No primeiro telefonema o dirigente do PSL de Itaporã pedia a autorização de Alceu Bueno para que o partido firmasse coligação com o candidato do PDT, Wallas Milfont. Na ligação Bueno exige o deposito de R$ 10 mil divididos em duas parcelas na conta do diretório estadual para que a coligação fosse “autorizada”. Neste mesmo telefone, Bueno afirma ao dirigente de Itaporã que por orientação do Diretório Nacional do partido, o diretório estadual havia baixado uma resolução obrigando o depósito de R$ 10 mil que os diretórios dos municípios onde não houvesse candidatos a prefeito ou a vice-prefeito, o PSL pudesse formalizar as coligações. O dirigente do PSL itaporanense chegou a ofereceu um cheque pré-datado para Bueno para formalizar o pagamento da “taxa” já que iria fazer um empréstimo com consignado em nome de sua mãe para “levantar” o dinheiro. Bueno nesta ligação chegou a dizer que não aceitaria pré-datados e que abriria mão dos R$ 5 mil restantes desde que a primeira parcela fosse depositada até o dia 30 de junho. Em Itaporã, PSL já firmou coligação com o PDT e indicou o nome de Bigorrila como candidato a vereador. Na segunda ligação, Alceu Bueno conversa com uma pessoa identificada como Sebastião que seria o secretário do PSL da cidade de Iguatemi. Na gravação dá para ouvir que Bueno reduziu o valor da taxa de R$ 10 mil para R$ 7 mil sendo que poderia ser pago em suas vezes. Somente desta forma é que o PSL de Iguatemi teria autorização para formalizar a coligação. Em Iguatemi o PSL conta com oito pré-candidatos a vereador. Na terceira gravação obtida com exclusividade pelo Dourados News, Alceu Bueno conversa ao telefone com o dirigente do PSL de Deodápolis. Nesta gravação o presidente estadual do PSL também pede o pagamento da taxa de R$ 10 mil sob pena do partido local não lançar candidatos. Bueno diz para o dirigente que o dinheiro deve ser depositado numa conta do partido na Caixa Econômica Federal. O dirigente chegou a dizer na gravação que estava sem dinheiro até mesmo para comprar créditos para o seu telefone celular quanto mais para pagar a tal “taxa”. O presidente do Diretório Nacional do Partido Social Liberal, Luciano Bivar que mora em Recife, mas estava em São Paulo a trabalho, disse ao Dourados News que não existe esta cobrança de taxa no âmbito do partido e se isso está acontecendo em Mato Grosso do Sul deverá ser apurado pelo Conselho de Ética do partido. Bivar afirmou que não tinha conhecimento das gravações e tão logo seja formalizada a denúncia no Diretório Nacional o Conselho de Ética será acionado para instaurado um processo de investigação para apurar os fatos e punir os culpados se houverem. Alceu Bueno, procurado pelo Dourados News disse que “esta denúncia está sendo orquestrada pelo ex-dirigente do PSL, Emídio Milas com a única intenção de denegrir a sua imagem e desconstruir o trabalho que já foi feito pelo partido em todo o estado”. O presidente do PSL disse que vai interpelar judicialmente Milas que em sua opinião é o responsável por “forjar” as gravações dos telefones. Bueno afirma ter provas e gravações que confirmaram o este fato. Segundo Alceu Bueno, nos municípios onde o PSL tem “cabeça de chapa” ou candidato a vice-prefeito a “taxa” não é cobrada. O empresário diz que o dinheiro arrecadado será usado para bancar as despesas dos diretórios estadual e nacional e também para arcar com os custos de campanhas eleitores de candidatos nos municípios do estado. Bueno disse ainda que o primeiro depósito de R$ 5 mil seria destinado ao Diretório Nacional enquanto que apenas a segunda parcela do mesmo valor ficaria nos cofres do Diretório Estadual. Ouça as gravações dos telefones entre Alceu Bueno e os dirigentes dos diretórios municipais de Itaporã, Iguatemi e Deodápolis: http://www.douradosnews.com.br/base/www/media/attachments/112/112/4feb4b531017645617203e721879f6a3cd576a0ce5ef2_062519231000.mp3 http://www.douradosnews.com.br/base/www/media/attachments/114/114/4feb4ce792729dcfa0dadec62b3fdba4f8084b7ec9e17_anotacao-de-voz-00007-20120625-1013.mp3 Heloísa Lazarini