22 de maio de 2024
Campo Grande 24ºC

CAMPO GRANDE (MS)

Após atos golpistas, vereador bolsonarista ganha chefia da Sesau

Novo secretário deve apresentar a nova equipe da Sesau na terça-feira, às 9h

A- A+

O vereador bolsonarista Sandro Trindade Benites (Patriota), de 46 anos, conhecido por falcatruas do Fundo Especial de Financiamento de Campanhas (FEFC) destinado à campanha da enfermeira Sônia Maria Correia dos Santos, foi nomeado como o novo secretário da Saúde de Campo Grande (MS) nesta 2ª.feira (5.dez.22).

A ato de posse do bolsonarista deve ser na 3ª.feira (6.dez), poucas semanas após ele ter sido filmado realizando discurso golpista para radicais de extrema direita que estão acampados na Avenida Duque de Caxias, na Capital, pedindo Intervenção Militar, em razão de não aceitarem que Lula (PT), derrotou Jair Bolsonaro (PL) no 2º turno. 

Como mostramos aqui no MS Notícias, em razão do discurso golpista, o vereador Professor André Luís (Rede) moveu denúncia contra Sandro Benites junto ao Ministério Público e pediu uma nova cassação do mandato do colega na Câmara municipal da Capital. 

O novo secretário deve apresentar a nova equipe da Sesau na terça-feira, às 9h, na Câmara. No mesmo dia, às 15h a prefeitura deve fazer uma cerimônia de posse dele no cargo. Rosana Leite Melo, ex-diretora-presidente do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS) e que chefiou a Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, deve assumir como secretária-adjunta da pasta do Executivo municipal.

Também está no Diogrande de hoje, o ato de nomeação de Alexandre Ávalo, que volta ao cargo de procurador da Justiça da capital.

PROCESSO 

Em abril de 2021, o bolsonarista Sandro Benites chegou a ter o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS). Entretanto, conseguiu impetrar um recurso e segue no cargo com o processo paralisado há 18 meses. 

Na época, na ação, o Ministério Público apontou que Benites recebeu doação de R$ 5 mil de Soninha da Saúde. O MP alegou que a situação configurava desvio na aplicação das verbas do Fundo destinado à candidatura feminina. Conforme a representação ao utilizar tal recurso —  equivalente a 1/3 do total recebido pela candidata na campanha - o bolsonarista teria ofendido a "moralidade do pleito e a igualdade de chances entre os candidatos".

O processo que está nas mãos do Juiz Eleitoral Juliano Tannus e segue sem data para ser votado. Tannus é advogado e atualmente exerce a função de juiz titular do TRE/MS.

Justamente esse político que até hoje não provou não ter roubado os cofres públicos é porta voz dos moralistas que promovem atos em frente ao Comando Militar do Oeste (CMO).