26 de setembro de 2021
Campo Grande 34º 22º

JUDICIÁRIO

Bolsonaro é condenado a pagar R$ 10 mil à jornalista após acusá-la com uma fake news

Bianca havia publicado, em novembro de 2019, um texto sobre as relações de amigos e familiares do presidente com os acusados do assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol), no Rio de Janeiro

A- A+

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) condenou o presidente Jair Bolsonaro a indenizar a jornalista e colunista do Uol Bianca Santana em R$ 10.000. Ela foi acusada pelo presidente de escrever fake news. Durante live na sua rede social em 28 de maio, Bolsonaro é quem produziu uma fake news contra a jornalista, ao dizer que ela escreveu uma matéria, que não foi escrita por ela. Cabe recurso.

Bianca havia publicado, em novembro de 2019, um texto sobre as relações de amigos e familiares do presidente com os acusados do assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol), no Rio de Janeiro. Na ocasião, Bolsonaro acusou a jornalista de publicar notícias falsas, apesar da reportagem ter seu conteúdo comprovado na Justiça. Bolsonaro mencionou texto sobre decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o PT. A reportagem, no entanto, não foi escrita nem assinada por Bianca.

Em julho, depois que a ação foi aberta, Bolsonaro se retratou. “Eu fiz a referência a várias reportagens de fake news, e uma falei que era dela. Não era dela, tinha o nome dela lá embaixo. Houve equívoco da minha parte. Não era da jornalista Bianca Santana, minhas desculpas à Bianca Santana por esse equívoco nosso“, disse.

Ela decidiu manter a ação e afirmou que a menção a seu nome não foi meramente um erro.

“O presidente Jair Bolsonaro acaba de pedir desculpas publicamente por ter me acusado, na live de 28 de maio, de ser autora de um texto que nunca escrevi. Tirou toda a live do ar… Mas a menção ao meu nome não foi meramente um erro”, afirmou ao UOL.

“Bolsonaro não se equivocou, ele violou direitos e provocou um dano à minha honra”.