22 de maio de 2024
Campo Grande 25ºC

ELEIÇÕES 2023

Bolsonaro e Tereza Cristina disputam Adriane Lopes, dizem 'forças ocultas'

Chefe do Executivo teria uma visita a Bolsonaro sendo programada e conversa com a senadora sul-mato-grossense

A- A+

As redações dos veículos de comunicação sul-mato-grossense começaram a receber diversos releases em que ‘forças políticas ocultas’ (sem identificação), afirmam que Jair Bolsonaro (PL) e Tereza Cristina (PP), disputam a filiação da prefeita de Campo Grande (MS), Adriane Lopes (Patriota).

O texto, em tom de exaltação a políticos direitistas, sustenta que Jair Bolsonaro já ligou para Adriane Lopes a convidando para entrar no PL — presidido pelo condenado do mensalão Valdemar Costa Neto — apesar disso, não esclarece em qual dia e mês teria ocorrido tal conversa telefônica.  

De acordo com o release, Adriane Lopes deixará o Patriota em razão da fusão com o PTB. Endossando a ida de Adriane para o PL, o texto sustenta que Bolsonaro será ‘um grande peso nas eleições municipais’.
“... Até porque venceu a eleição presidencial em Mato Grosso do Sul, por 59,49%, contra 40,51% do atual presidente. Uma economia predominantemente rural, como a nossa, fortalece a posição do ex-presidente no Estado”, argumenta.  

Além disso, o texto sem autoria, diz que o bolsonarismo provou sua capacidade de transferência de votos ao eleger dois deputados federais em MS.

“Se de um lado Adriane e Lídio Lopes estão sendo assediados pelo PL, na figura do ex-presidente, de outro a senadora Tereza Cristina também se movimenta e sonha levar a prefeita para o PP, uma legenda também identificada com a direita brasileira e que tem hoje 6 senadores e 47 deputados federais no Congresso Nacional”, observa.

“Tereza tem boas cartas para jogar: foi a senadora mais votada da história de MS (829 mil votos), foi uma das mais importantes ministras do governo Bolsonaro, comandando a pasta da Agricultura que tem tudo a ver com o Estado, é presente na Capital e contribui para dividir a base de apoio ao tucano Beto Pereira, apontado pelo PSDB como o pré-candidato à Prefeitura de Campo Grande”, adiciona.

Apesar de acenar positivamente para o trabalho de Tereza Cristina, àquele (a) que redigiu o texto, a menospreza em comparação com Bolsonaro, dizendo que a Senadora “não tem o peso político” do extremista de direita.

“Esses são os principais partidos que têm publicamente tentado atrair Adriane Lopes para seus quadros, mas não faltam opções, como o Republicanos do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas.  A prefeita tem dito que não fala de eleição agora, até porque está focada na administração de Campo Grande, gerindo uma herança bastante complicada que recebeu de Marquinhos Trad”, argumenta.  

Ainda segundo o release, Adriane Lopes tem uma visita a Bolsonaro sendo programada e conversa direto com a senadora sul-mato-grossense.

“É certo, no entanto, que quando houver a fusão do Patriotas com o PTB, ela pretende mudar de endereço partidário. Como se pode ver. Por falta de opções não será. Interessados é que não faltam no passe da prefeita campo-grandense”, finaliza o material disparado nos e-mails.

Fontes falaram sob a condição de anonimato ao MS Notícias, que o material é produzido pelo círculo de aliados de Adriane Lopes que defendem a migração dela para o PL. Tais ‘forças ocultas’ temem que a mandatária possa, porventura, escolher um partido que não colha os votos da extrema direita na Capital sul-mato-grossense.