26 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 24º

Doutor Cury fala sobre situação da saúde e provoca bate boca entre vereadores na Câmara

O coordenador municipal do SAMU, doutor Cury, pediu a vez para falar na tribuna da Câmara Municipal de Campo Grande na manhã de hoje. Ele veio pedir providências aos vereadores, pois vem sofrendo retaliações nos últimos dias, por filmar a situação dos centros de saúde da Capital através de um aplicativo do seu celular e divulgar na mídia local. De acordo com o doutor Cury as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) estão sendo usadas para atendimentos emergenciais e afirma que essa não é a finalidade das instituições. “Segundo as normas do Ministério da Saúde ninguém pode ficar mais que 24h recebendo atendimento numa UPA, mas não o que está acontecendo. Hoje você vê pessoas ficaram mais de 72 horas esperando serem atendidas. Os pacientes ficam todos misturados, pessoas que se envolveram em acidente junto com pacientes psiquiátricos, ou seja, está uma verdadeira baderna”, desabafa Cury. Segundo o doutor, faltam vários tipos de medicamentos nas unidades, inclusive medicamentos importantes que não pode faltar aos pacientes. “Faltam abaixadores de língua, faltam agulhas, faltam lençóis e toalhas de higiene e até mesmo adrenalina para os pacientes em estado mais grave”, comenta Cury. Outra reclamação do coordenador do SAMU foi o afastamento do doutor Renato Figueiredo por parte do secretário de saúde Ivandro Fonseca. Para ele o que está acontecendo é uma perseguição por parte da Prefeitura. Bate boca na Câmara de vereadores - O doutor Cury já tinha ultrapassado o tempo estipulado pelo Plenário de dez minutos quando quis apresentar um vídeo com imagens de pacientes em situação precária nas UPAs, foi quando os vereadores intervieram e aconteceu um bate boca. A vereadora Luiza Ribeira (PPS) que defende o prefeito Alcides Bernal (PP) na Câmara pediu a vez e disse que o doutor Cury está apenas desabafando um fato pessoal e se opondo estrategicamente ao prefeito. O vereador Alex do PT que também é da base de sustentação do prefeito disse que o doutor estava agindo com oportunismo. Em resposta às declarações dos parlamentares, o vereador Delei Pinheiro (PSD) disse que essa não era a postura certa a ser tomada. “O Alex como líder do prefeito deveria dar voz ao doutor para encaminhar as informações à Prefeitura. Não foi o que fez, apenas ficou culpando a administração passada pela situação da saúde na Capital. Ainda rebatendo as declarações, o vereador Jamal (PR) argumentou dizendo que o secretário de saúde não está dando conta do recado. “O secretário não tem dado conta do recado. Ele já fez 188 sindicâncias contra médicos, isso é um absurdo, temos que parar com essa perseguição”, conclui Jamal. Autor: Alan Diógenes