17 de maio de 2021
Campo Grande 31º 20º

Ferrovias do MS seguem nos planos do governo

A- A+

Na última quinta-feira, o deputado federal Vander Loubet (PT), participou de uma audiência com o ministro dos Transportes, César Borges, em Brasília. A pauta da reunião foi para tratar de projetos de infraestrutira e logística. "Havia indícios de que os projetos de ferrovias em MS poderiam ficar de fora dos planos do governo. Então fomos fazer pressão junto ao Ministério para não perder esses projetos. Depois da conversa com o ministro ficamos mais tranquilos pois onde houver demanda de carga e forem viabilizadas as concessões o governo federal vai garantir o projeto e essas ferrovias do nosso estado estão nessa condição", afirmou Vander.

A prioridade da União, em relação as ferrovias é promover a concessão à iniciativa privada, mas em um modelo no qual o g0verno também irá participar da administração.  Atualmente, são dois os projetos ferroviários que envolvem Mato Grosso do Sul. Um é a ferrovia Ouro Verde de Góias-Estrela D'Oeste-Panorama-Dourados, com uma extensão aproximada de 1.300 km. A concessão do serviço público de exploração da ferrovia compreenderia a construção apenas do trecho Estrela D'Oeste-Panorama-Dourados, já que o trecho Anápolis-Estrela D'Oeste (681,6 km) está em construção pela Valec, empresa pública vinculada ao Ministério dos Transportes. Além de Dourados, o traçado pode passar pelos municípios sul-mato-grossenses de Deodápolis, Angélica, Nova Andradina, Bataguassu, Santa Rita do Pardo, Brasilândia, Três Lagoas e Eldorado.

Essa ferrovia será integrada à Ferrovia Norte-Sul, cujo trecho, quando completo, vai interligar o interior do Brasil aos portos de Belém (PA), São Luís (MA), Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Rio Grande (RS). Além disso, futuramente, a Norte-Sul deve se conectar à Ferrovia Ferroeste e essa interligação atingirá também o porto de Paranaguá (PR).

Já o outro projeto no estado se refere à ferrovia Maracaju-Cascavel-Lapa e envolve a construção de 989 km de trilhos. O trecho integrará justamente a Ferroeste, que cruza o Paraná de leste a oeste, e permitirá a inteligação ao porto de Paranaguá. O traçado em Mato Grosso do Sul, a partir de Maracaju, deve incluir os municípios de Itaporã, Dourados, Caarapó, Amambai, Iguatemi, Eldorado e Mundo Novo.

Integração – Foi discutida também a inclusão da rodovia BR-419 na segunda fase do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento). De acordo com o governador André Puccinelli, já foram providenciados os projetos e o licenciamento da rodovia. "Aguardamos apenas a liberação das verbas para o início das obras", afirmou André.

A obra em questão se refere à pavimentação de 279 quilômetros da rodovia, orçada em R$ 350 milhões. O trecho fica entre o entroncamento da BR-419 com a BR-163, em Rio Verde de Mato Grosso, até e a BR-262, em Aquidauana. O ministro César Borges explicou que o Ministério não se opõe à inclusão do projeto no PAC 2, mas que precisa da autorização do MPOG para liberar a verba pretendida.

Após o carnaval deve ser marcada uma audiência com a ministra Miriam belchior, para ter o aval do Ministério do Planejamento.

Novas concessões - Por fim, o deputado Vander questionou César Borges sobre a situação das rodovias BR-262 e BR-267 em MS. Inicialmente, trechos de ambas as estradas estavam incluídos no lote que foi leiloado junto com a BR-163 em dezembro do ano passado. No entanto, estudos de viabilidade econômica feitos pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fizeram com que as BRs 262 e 267 fossem excluídas do leilão para não inviabilizar o interesse da iniciativa privada na BR-163.

"Obtivemos do ministro da informação de que as duas rodovias vão entrar em novos lotes de concessão a serem leiloados pelo governo este ano. Isso é muito positivo já que foi criada uma grande expectativa em torno da duplicação e modernização dessas estradas", concluiu o parlamentar petista.

Além de Vander, estiveram presentes à audiência com o ministro dos Transportes o governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), os senadores Waldemir Moka (PMDB) e Ruben Figueiró (PSDB), o deputado federal Fábio Trad (PMDB) e o secretário de Estado de Obras, Edson Giroto.

Tayná Biazus com Assessoria