27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

Governador acredita que PMDB ainda pode apoiar Dilma no Estado

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB) afirmou na tarde de hoje que ainda existe a possibilidade de o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) apoiar a presidente Dilma Rousseff (PT) nas eleições de 2014. “Não descarto a possibilidade do PMDB apoiar a Dilma aqui no Estado", afirma André.

Além de acreditar nesta possibilidade, o governado também não descarta, por completo, uma aliança entre petistas e peemedebistas. "Nunca podemos dizer em política que não existe possibilidades a respeito de uma aliança. Que existe a possibilidade de uma aliança com o PT (Partido dos Trabalhadores) existe, mas a cada dia os percentuais e as chances estão diminuindo”.

Segundo o governador, depois da vinda do vice-presidente da República, Michel Temmer à Mato Grosso do Sul para um encontro regional do partido realizado em Dourados, que serviu para avalizar a pré-candidatura de Nelson Trad Filho (PMDB) ao governo do Estado, as chances de uma aliança com PT diminuíam ainda mais. Aproveitando o momento, Puccinelli fez questão de esclarecer que apoiará a pré-candidatura de Nelsinho e subirá ao palanque do pré-candidato peemedebista.

“Ao contrário do que foi veiculado, eu não disse que não iria subir no palanque do Nelsinho, eu disse que não poderia subir ao lado do Nelsinho em um palanque de um candidato adversário à presidente Dilma. Se o Nelsinho decidir apoiar o Eduardo Campos(PSB), não estarei no mesmo palanque que o Eduardo, mas quero deixar claro que o Nelsinho foi e sempre será meu pré-candidato ao governo do Estado e será meu futuro governador”, afirma André.

Para o governador, estar em um mesmo palanque ao lado de campos, mesmo que o PSB apoie o PMDB, não é ético diante do compromisso firmado por ele junto à preidente Dilma pelo que ela realizou por Mato Grosso do Sul.

Dany Nascimento e Heloísa Lazarini