19 de janeiro de 2022
Campo Grande 34º 24º

ELEIÇÕES 2022

Lula presidente é escolha de 37,26% dos sul-mato-grossenses

Pesquisa revela que Bolsonaro perde força até mesmo em MS, local onde pontuou bem em 2018

A- A+

Lula (PT) lidera a preferência dos sul-mato-grossenses com 37,26% dos votos nas Eleições de 2022 para que seja novamente o Presidente da República. A mostra é da pesquisa do Instituto de Pesquisa de Resultado (IPR) realizada entre os dias 16 e 22 de novembro.  

O atual presidente Bolsonaro (sem partido) tem 30,79% dos votos em MS. À medida que perde espaço no estado que era antes seu reduto eleitoral, Bolsonaro também perde força política. Dos candidatos da 3ª via, o mais competitivo em MS é o ex-juiz Sergio Moro (Pode), que consegue o apoio de 11,62%, do eleitorado. 

 

Apesar de sul-mato-grossenses, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM) e a senadora Simone Tebet (MDB), estão sem força no levantamento. A única citada é Tebet, que numa espontânea consegue um 8º lugar, com apenas 0,10% dos votos. Ela fica atrás até da ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (Rede), que não deverá ser candidata em 2022. 

Realizada com 2.056 eleitores em 26 municípios e com margem de erro de 2,2%, a pesquisa aponta o ex-ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PDT), com 4,57%, contra 2,68% do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). 4,04% pretendem votar em branco ou nulo, enquanto 9,05% não sabem ou não quiseram responder.

A polarização entre Lula e Bolsonaro se repete na pesquisa espontânea. O petista tem 18,48%, contra 16,88% do radical de direita. Em seguida aparece Moro com 2,77%, Ciro com 1,02%, Doria com 0,39%, Marina com 0,15%, Leite e Simone com 0,10%. A maioria, 55,69%, ainda não decidiu em quem votar para presidente.

No quesito rejeição, Bolsonaro é o que mais pontua, sendo que 41,85% dos eleitores o rejeito. Lula tem a antipatia de 35,02% dos entrevistados. A rejeição de Ciro é de 4,62%, enquanto Dória ficou com 3,3% e Moro, com 2,09%.

Lula na liderança em Mato Grosso do Sul é a primeira vez, desde que o petista começou a ser cotado à presidência. Bolsonaro pode chegar a 2022 com menos de 22% de votos no estado. Diante da inflação fora de controle, o aumento de mais de 70% nos combustíveis e das falhas no combate à pandemia e denúncias de corrupção generalizada, Bolsonaro deixou de ser o preferido em MS. Bolsonaro deve abraçar o Centrão apara tentar conseguir votos.  

Daqui a 11 meses ocorrem as eleições que irão definir se Lula volta à cadeira presidencial.