07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Como presidente, João Rocha propõe “bandeira branca” sobre conflitos com Bernal

A Câmara Municipal de Campo Grande escolheu em sessão extraordinária nesta sexta-feira (27) quase por unanimidade, o vereador João Rocha (PSDB) como o novo presidente da Casa de Leis. 

Foram 27 votos favoráveis dos pares da Casa, enquanto o vereador Cazuza (PP) após reunião com o prefeito Alcides Bernal (PP) na última quinta-feira (26) declarou voto contrário ao novo presidente. “Deixo claro que meu voto não é pessoal, é partidário, então meu voto é contra”, declarou Cazuza. Já o vereador Edson Shimabukuro do (PTB) esteve ausente durante sessão por motivo de viagem e não participou da votação.  

Após solenidade, o vereador João Rocha (PSDB) comentou que está disposto a trabalhar harmonicamente com o Executivo e vê a mudança de posição como mais um desafio pessoal e para Campo Grande. “Eu acredito em uma grande união pelo bem da cidade, é isso que eu espero com muita responsabilidade, política se faz com conversa e espero ter uma relação próspera com o Executivo. Tomaremos a iniciativa para manter uma boa relação, vou entrar em contato com o prefeito, vamos visitá-lo institucionalmente, não vou falar que “estamos de braços abertos” por quê isso está fora de moda, mas vamos cumprir com nossas tarefas, chega de atritos, agora é outro momento. Tenho certeza que o prefeito Alcides Bernal vai entender este momento, é um homem inteligente e o que depender da Câmara vamos cumprir com nossas obrigações”, pontuou Rocha. 

Primeiro passo
“Nosso primeiro passo é tomar a atitude e a iniciativa. Vamos encontrar o Bernal para estreitar esse relacionamento entre os poderes, vamos fazer nossos trabalhos sem inventar moda, vamos seguir o rito, cumprir com o papel do Legislativo e o Executivo cumprir com as pautas que cabem ao Executivo”. 

"Dobradinha com o Governo"
Sobre a “dobradinha” do partido tucano no Governo e agora na Câmara, Rocha minimiza a coincidência partidária. “O governador tem um papel extremamente importante que é de comandar o Estado, que está passando por momentos de dificuldades, mas está cuidando de Mato Grosso do Sul. Aqui na Câmara são os 29 vereadores que trabalham pelo melhor da nossa Capital, vamos fazer esse trabalho juntos, cada um na sua competência e solucionar os nossos problemas, o importante não é condição partidária e sim a harmonia dentro da Casa por nossa cidade”, completa Rocha. 

Pautas travadas
Anteriormente, o ex-presidente em exercício, vereador Flávio César (PTdoB), havia “travado” projetos do interesse do Executivo, enquanto Bernal não realizasse o pagamento dos servidores comissionados, que trabalhavam na época do prefeito afastado Gilmar Olarte (PP). Rocha destacou cautela e pretende se inteirar do assunto para então decidir sobre o entrave. “Tenho conhecimento enquanto parlamentar, agora estou em uma posição diferente, que é a de presidente, vou respeitar o regimento, vamos verificar os motivos e se desbloquearmos precisamos primeiro saber o motivo, se tem um motivo e isso for sanado, naturalmente nós queremos que as coisas fluam, tem que seguir naturalmente mas com legalidade e responsabilidades de todas as partes”, disse o presidente. 

O vereador Mario Cesar (PMDB), que estava afastado do cargo e renunciou ao mandato oficialmente em sessão desta quinta-feira (26) na Câmara, parabenizou Rocha pela nova responsabilidade. “Enquanto fui presidente sempre procurei trabalhar com honestidade, seriedade ao que o cargo exige, estou feliz de voltar a esta Casa, de forma diferente, mas tenho certeza que o vereador João Rocha executará um bom trabalho, tem muita competência para isso”, analisou Mario. 

Rocha é por enquanto presidente da Comissão de Ética que investiga a quebra de decoro dos parlamentares após a deflagração da Operação Coffee Break e pretende se reunir nos próximos dias com os representantes de bancada para fazer a nova composição da mesa, já que não pode continuar na Comissão.