25 de outubro de 2020
Campo Grande 32º 21º

TRE abslove prefeitos do interior das acusações de compra de votos

 

O prefeito de Bonito, Leonel Lemos de Souza Brito (PT do B) foi absolvido da cassação por cinco votos a um durante sessão de julgamento no TRE-MS (Tribunal Regional de Mato Grosso do Sul), que acabou de ser encerrada.

Apenas o desembargador Helton Nasser votou favorável á cassação. Outro prefeito que estava sob a mira da cassação e escapou de perder o mandato foi Hélio Sato (PMDB) de Vicentina. Hélio foi inocentado da acusação de compra de votos por unanimidade. A decisão judicial ainda é passível de recurso. O resultado gerou discórdia até porque existem indícios de irregularidades em ambos os processo. No caso do prefeito de Bonito, há testemunhas que alegam ter ocorrido “sumiço” da principal prova  que comprovaria a compra de votos. Contra Hélio, existem gravações que mostram ele o ex-prefeito de Vicentina Marquinhos negociando votos com estudantes da rede pública de ensino do terceiro ano de uma escola local. No entanto, os dezembargadores entenderam que as provas eram insuficientes. Heloísa Lazarini e Dany Nascimento