02 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Vereador alega falta de diálogo, deixa reunião e critica titular da SAS por ser irredutível

Leia também

• Coordenadores de Cras são demitidos por Bernal sem justificativa

• Secretária diz que exonerações servem para acabar com 'arranjo político' de vereadores

• Bernal usa lado "místico" sobre exonerações no CRAs e diz que “é preciso reenergizar o ambiente”

A reunião entre secretária municipal de assistência social, Marcela Rodrigues, com vereadores de Campo Grande ainda para discutir as exonerações dos coordenadores do Cras, não terminou, mas já aponta que não deve ser selado nenhum acordo.

O vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB) deixou sala de reuniões há pouco e em entrevista à imprensa disse que não há diálogo com secretária. "Não vou ficar me indispondo, em clima de ódio, alguém tem que estender bandeira branca", disse.

Segundo Cabeludo, a secretária se mostra irredutível em dialogar e buscar alternativa para manter coordenadores ou parte deles. O vereador disse que parlamentares questionaram motivo das exonerações e mostraram à secretária que existem funcionários que estão no cargo há anos, que desenvolvem trabalho positivo para sociedade, mas, segundo ele, Marcela se recusa a reconsiderar decisão.

"Pro lado do Bernal, eles [funcionários] foram exonerados e ponto, não tem diálogo", lamenta vereador.  

Nesta quinta-feira (5) foi publicado no Diário Oficial da Capital, a exoneração de 16 coordenadores dos Cras de Campo Grande, que juntos, atendem cerca de 5 mil famílias. Em entrevista ao MS Notícias, a secretária explicou que exonerações serviriam para acabar com "arranjos políticos de vereadores."