14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 19º

Vereadores não querem 'natal triste' e cobram de prefeito pagamento de dívida com fornecedores

Desde segunda-feira (7), diversos fornecedores da Prefeitura de Campo Grande começaram a se queixar da decisão do Município de não efetuar este ano pagamento das dívidas deixadas pelo prefeito Gilmar Olarte, que seria de aproximadamente R$ 200 milhões. O prefeito Alcides Bernal (PP) quando reassumiu comando da administração municipal, em 27 de agosto deste ano, anunciou suspensão do pagamento de fornecedores de serviços não essenciais por 90 dias.

O prazo terminou em novembro, porém, o secretário de finanças Disney Fernandes antecipou que débitos devem ser pagos apenas em 2016. A medida não foi bem recebida pelos vereadores.

Para Paulo Siufi (PMDB), a decisão será prejudicial à população e precisa ser revertida já que há ameaça de suspensão de serviços, entre eles do Tapa-Buraco, considerado não essencial. “Esse calote milionário, essas empresas vão parar. O Pedra e ele (Bernal) afirmaram que tinha superávit, que eles peguem isso e paguem fornecedores. Falaram que tinha comissionados demais, mas já são mais de mil comissionados. Então queremos que haja explicações e por isso estamos convocando secretário para vir à Casa na quarta-feira da semana que vem e explicar isso”, diz Siufi.

Assim como peemedebista, vereador Chiquinho Telles (PSD) lamentou decisão da Prefeitura e disse que teme pela situação da Capital. “Vamos ter natal mais triste de todos os anos, mais até que em 2013 quando falei que era natal da cidade escura. Vamos terminar o ano com cidade cheia de buracos, cheia de mato, quem é que vai trabalhar para quem não gosta de pagar? Ninguém trabalha para quem não paga. Campo Grande virou cemitério de obras paradas. Vamos esperar pela Justiça, mas em resumo será um natal triste”. 

Leia também

• Aprovado projeto que isenta pagamento de IPTU a população de baixa renda

• Servidores vão perder desconto em IPTU com pagamento do 13º em janeiro, diz vereador