13 de abril de 2021
Campo Grande 33º 21º

Parlamentares 'confiavam em decisão da Justiça' sobre afastamento da Câmara

“Confiança na Justiça e vida que segue”. Esse é o tom do discurso de alguns parlamentares a respeito da decisão do juiz Henrique Neiva de Carvalho e Silva, que negou o pedido do MPE (Ministério Público Estadual) de afastar oito vereadores de Campo Grande.

Para o vereador Vanderlei Cabeludo, (PMDB) a decisão é coerente e não atrapalha os trabalhos da Justiça. “Acredito que é uma situação justa, nós estamos colaborando com as investigações e não via a necessidade desse afastamento, isso prejudicaria os trabalhos que estamos executando na Câmara como parlamentares, vamos continuar trabalhando”, diz o vereador. 

O vereador Chiquinho Telles (PSD), também adotou o discurso de confiança na Justiça e vê com normalidade os trabalhos sequentes na Casa. “Eu confio nos trabalhos que são exercidos pela Justiça, não existia consistência nos argumentos”, diz o parlamentar.

Sempre em tom mais “crítico”, o vereador Paulo Siufi (PMDB), afirmou no início da manhã desta segunda-feira (23) ao MS Notícias, que já esperava a decisão negativa, porém criticou a vereadora Luiza Ribeiro (PPS) pelas declarações vazadas de seu depoimento no Ministério Público. “A Justiça fez o que tinha que ser feito e o juiz agiu dentro da legalidade. Não esperava outra coisa de um magistrado, como os fatos não estavam fundamentados não me sinto surpreso com essa decisão. Agora o que eu questiono são as mentiras da vereadora, ela mentiu para o MP e mentiu na Câmara. Lembra dos policiais que ela disse que não conhecia? Existem essas e outras situações muito duvidosas, o MP tinha que pedir o afastamento dela e não o nosso, mas a Justiça foi feita, isso que é importante”, diz Siufi.

Mais técnico, o vereador João Rocha (PSDB), destacou que cada um tem seu papel e que não existirá “clima” com a vereadora Luiza Ribeiro (PPS). “Eu confio no trabalho da Justiça, cada um faz sua parte, o MPE entendeu que deveria afastar, o juiz fez sua avaliação e tomou sua decisão e vejo isso com muita naturalidade. Não houve fundamento, cada um faz seu trabalho, assim como fazemos dentro da Casa de Leis. Como parlamentares, sempre teremos conflito de ideias, cada um responde pelo que fala e o que faz, eu não tenho problema com ninguém e sei que a verdade sempre irá prevalecer. Com relação a vereadora Luiza Ribeiro não levo nada para o lado pessoal, cada um tem que ter respeitada suas opiniões”, amenizou Rocha.