27 de setembro de 2021
Campo Grande 34º 22º

'EMBOSCADA'

Ação policial termina com oito criminosos do PCC mortos em Ponta Porã

Forças policiais encontram "QG" do bando em MS um dia após membros tentarem resgate, fracassado, à lider da fronteira, "Bonitão", expulso do Paraguai no domingo

A- A+

Desde o domingo (10.jan.2021), na região da fronteira entre Brasil e Paraguai - das cidades vizinhas de Ponta Porã e Pedro Juan Cabellero - o cenário foi de confronto entre policiais de várias forças (Garras; Batalhão de Operações Especiais; DOF e Polícia Civil de Ponta Porã) e membros do Primeiro Comando da Capital. Após emboscada na noite de ontem (11.jan.2021) oito suspeitos foram mortos. A primeira ação, que desencadeou em tentativa de resgate até chegar nessa troca de tiros no Quartel General do bando, foi a prisão do lider do grupo na fronteira, Giovanni Barboza da Silva, o ‘Bonitão’. 

Segundo relatório das autoridades brasileiras, dois dos oito integrantes da facção criminosa, que participaram do ataque à sede paraguaia do Departamento de Investigações da Polícia Nacional (PY), eram paraguaios. Usando coletes e aproximadamente 30 fuzis, na madrugada de domingo (10.jan), no bairro San Gerardo em Pedro Juan Caballero, os criminosos tentaram resgatar o "Bonitão". Durante a ação um investigador teria sido refém pelos bandidos. 

Frustrados, segundo informações do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), pelo major  Samuel Castilho, os suspeitos migraram para o lado brasileiro, instalando-se em Ponta Porã. Sob a vigilância das forças de segurança do Estado de Mato Grosso do Sul, os policiais conseguiram a informação com o endereço do bando e armaram a emboscada. 

Recebidos à tiros, no primeiro confronto seis criminosos foram mortos. O imprensa paraguaia, pelo site ABC Color divulgou que aqueles com nacionalidade paraguaia foram identificados como Edson Prieto Dávalos (28) e Óscar Rubén Cardozo Delvalle (37). 

Nas operações foram apreendidos dois fuzis; quatro pistolas; uma Land Rover e caminhonete S10; um fuzil modelo FN15 de origem americana, calibre 5,56 /.223, com dois carregadores e dois telefones iPhone. Giovanni Barboza foi apreendido a bordo de uma caminhonete, junto com outros dois detidos, de nacionalidade brasileira, Paulo Augusto Jaime Landolfi e Lucas de Aguiar Freire. Enquanto "Bonitão" foi expulso do Paraguai no domingo, por ordem do presidente Mario Abdo Benítez, a dupla foi transferida para o Grupo Especializado por terem processos abertos no país vizinho.