01 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Transparência

Após auditoria, governo vai economizar R$ 17.726 milhões com programa Vale Renda

A partir da próxima sexta-feira (15), os beneficiários do Programa Vale Renda serão atendidos em novo endereço, em prédio ampliado e provido de acessibilidade, na Avenida Ernesto Geisel, 6.644, Cabreúva.

A transição e adequação das novas instalações foi iniciada em outubro de 2015 com abertura de processo de licitação para adaptação do espaço, bem como implantação de serviços de internet; telefonia; ar condicionado e reparos na estrutura física.

O Programa Vale Renda é administrado pela Superintendência de Benefícios Sociais da Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast). Desde o início da administração do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a secretária da pasta e também vice-governadora, Rose Modesto, iniciou processo de auditoria no Vale Renda para identificar gastos extras e gargalos no programa.

O resultado, divulgado esta semana pelo governo, revela que 8.021 mil cadastros não se enquadram ao perfil de atendimento do programa. “Iniciamos a auditoria assim que entramos no governo, cruzamos as informações e encontramos 6 mil cadastros de pessoas que não são o perfil do Vale Renda e portanto, foram desligadas. Isso vai gerar uma economia de R$ 17, 726 milhões por ano aos cofres do governo”, descreveu a vice-governadora e secretária, que completa: “a economia em 2015 já foi de R$ 1.363 milhões”.

Para estar no programa de benefício social do governo do Estado é preciso que a renda per capita da família não ultrapasse meio salário mínimo, e o candidato não pode estar cadastrada em outro programa social como o Bolsa Família (benefício do governo federal), outra irregularidade identificada com auditoria. “Até assumirmos o governo, não havia cruzamento de informações como o programa federal, o que agora acontece”, comparou.  O benefício é de R$ 170 reais mensais e o programa pode atender até 60 mil famílias em todo MS.