13 de junho de 2024
Campo Grande 23ºC

Sem sistema de monitoramento por câmeras

Depois de fuga de presos, Sinpol vistoria delegacia de Água Clara

A- A+

Na madrugada de ontem seis presos que estavam na delegacia de Água Clara fugiram após serrarem o cadeado da cela. O local, que contava com a vigilância de apenas um policial plantonista, sofre com a falta de efetivo e de infraestrutura. A delegacia não possui sistema de monitoramento por câmeras, alarme, muro alto ou qualquer outro recurso que auxilie o policial a vigiar o local.

Tão logo souberam do ocorrido, o presidente do Sinpol-MS Alexandre Barbosa e o diretor jurídico Giancarlo Miranda foram até a Delegacia para verificar as condições em que os colegas trabalham, bem como dar apoio aos companheiros. Até o momento, apenas um preso foi recapturado, mas os policiais de toda cidade, até mesmo os que estão de folga, estão empenhados à procura dos fugitivos.

Realidade

Em pouco mais de uma semana, a realidade das delegacias do interior do Estado tem sido denunciada: a superlotação e condições insalubres na DP de Chapadão do Sul e a fuga de detentos na DP de Água Clara. “Mais uma vez o Sinpol-MS vai entrar em contato com as autoridades competentes solicitando providências quanto a custódia. Nós esperamos que o Governo Estadual realize uma planejamento para a retirada dos presos nas delegacias, mesmo que seja de forma gradual”, declarou o diretor jurídico do Sinpol-MS, Giancarlo Miranda.

Apesar de dois casos terem ganhando notoriedade, o sindicato tem recebido denúncias de outras delegacias do interior do Estado que também estão sofrendo problemas parecidos.

O sindicato tem atuando firmemente contra a permanência de detentos nas delegacias, pois a permanência também acarreta insegurança para os servidores que ali atuam com um quadro reduzido de pessoal. “A convocação de remanescentes do último concurso da Polícia Civil deve colaborar para o aumento de efetivo. O interior do estado ainda tem um déficit muito grande”, afirmou Giancarlo.

No final de 2014, 393 novos policiais foram lotados em delegacia da capital e do interior. Cerca de 110 novos policiais estão cursando a Acadepol e devem se formar no final do mês de março. Apesar do número expressivo, a quantia ainda não é suficiente diante do aumento, a olho nu, da criminalidade.