28 de maio de 2024
Campo Grande 12ºC

JUSTIÇA | BOLSONARISMO

Empresário bolsonarista é preso nos Emirados Árabes e será extraditado

Logo após a visita do presidente do Brasil ao país

A- A+

O empresário bolsonarista Thiago Brennand Fernandes Vieira, de 42 anos, foi preso nos Emirados Árabes Unidos nesta 2ª.feira (17.abr.23).

Acusado de estupro, agressão, cárcere privado e ameaça, ele teve o pedido de extradição aprovado por autoridades do país no último sábado (15.abr.23), logo após a visita do presidente do Brasil, Lula (PT), ao país. 

Na 4ª.feira (12.abr), foi ventilado que Lula perguntaria ao presidente árabe Mohammed bin Zayed Al Nahyan, sobre a situação do empresário, quando estivesse no país, onde desembarcou em 15 de abril. 

Em conversas com jornalistas no domingo (16.abr), Lula defendeu a extradição de Thiago Brennand, mas negou que o assunto tivesse sido tratado durante seu encontro com o xeique. “A única coisa que eu sei é que se no mundo existir 1 milhão de cidadãos como esse, todos merecem ser punidos porque não é humanamente aceitável que um brutamonte desse seja um agressor de mulheres e eu acho que ele tem que pagar” , afirmou o presidente na ocasião.

Na 3ª.feira (18.abr), a Polícia Federal deve enviar até quatro agentes ao país para trazê-lo de volta e, assim, completar o processo de extradição.

Brennand havia sido preso em um hotel de luxo nos Emirados Árabes Unidos em outubro de 2022, mas pagou fiança e atualmente cumpria medidas cautelares em liberdade. 

Ele é acusado dos seguintes crimes: 

  1. Estupro da estudante de medicina Stefanie Cohen, em outubro de 2021 em um hotel na capital de São Paulo;
  2. Agressão contra a modelo Alliny Helena Gomes depois de uma discussão em academia na zona norte de SP;
  3. Corrupção de menores por incentivar o filho menor de idade a ofender a modelo Alliny Helena;
  4. Cárcere privado de uma mulher que diz ter sido obrigada a tatuar as iniciais do nome do empresário em seu corpo;
  5. Estupro de uma mulher em Porto Feliz, município no interior de SP.

Em 6 de março de 2023, o empresário bolsonarista gravou um vídeo de 10 minutos dizendo que “obviamente não estuprei ninguém”.

Brennand também afirmou que se entregaria a polícia: “Vou me apresentar. Provavelmente, vão me prender injustamente” , disse o empresário, que teve o nome incluído na lista de difusão da Interpol.