28 de maio de 2024
Campo Grande 12ºC

FEMINICÍDIO | CAMPO GRANDE (MS)

Ex-militar é condenado a 23 anos por matar Natalin Nara

'Quebrou pescoço' e desovou esposa

A- A+

O ex-2º sargento da Aeronáutica, Tamerson Ribeiro Lima de Souza, de 31 anos, foi condenado nesta 6ª.feira (25.nov.22), a 23 anos e 4 meses por matar a esposa, a estudante de enfermagem, Natalin Nara Garcia de Freitas Maia, de 22 anos. Ele estava preso desde 7 de fevereiro.  

A investigação concluiu que Natalin foi assassinada na madrugada da 6ª.feira (4.fev.22) e o cadáver dela foi desovado no domingo (6.fev.22), num matagal no quilômetro 372 às margens da BR-060, em Campo Grande (MS).

Tamerson causou lesão num dos braços da vítima e o pescoço dela foi quebrado. 

A investigação apontou que após matar a esposa, o ex-militar levou a filha da vítima à escola, com a mãe morta dentro do veículo. Depois de deixar a criança na escola, Tamerson desovou o corpo às margens da BR. O cadáver foi encontrado pelo funcionário de uma fazenda, no matagal ao lado da porteira de entrada de uma propriedade rural. 

O homem foi condenado por homicídio e ocultação de cadáver. Nos mostramos aqui no MS Notícias que o casal estava junto desde 2016 e o autor havia registrado a filha de Natalin, apesar de não ser pai da criança 

A vítima deixou uma filha, que apesar de não ser biologicamente do condenado, foi registrada por ele.

O juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital ainda condenou Tamerson a pagar R$15 mil à enteada.

Caso o ex-militar consiga, juridicamente, anular o registro da paternidade da menina por ela não ser sua filha biológica, o benefício passará a ser da avó materna.