20 de abril de 2021
Campo Grande 30º 20º

ASSASSINO DE MULHERES

Livre, patrão suspeito de espancar mãe e irmã, mata diarista a socos e chutes

Denise fazia faxina na casa do casal, quando viu o homem agredindo a esposa e tentou salvar a mulher em Aparecida de Goiânia (GO)

A- A+

Foi preso na 4ª-feira (27.jan.21) o homem de 45 anos, patrão, suspeito de espancar a diarista Denise Alves Fernandes, de 54 anos, no dia 7 de janeiro, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital de Goiás. A trabalhadora morreu no dia 14 de janeiro, no hospital, devido a traumatismo cranioencefálico. O homem tem passagem por homicídio, é investigado por agressões contra a irmã e a mãe, nos anos de 2018 e 2020 e estaria agredindo a eposa.  

Segundo o boletim de ocorrência, Denise fazia faxina na casa do casal, quando viu o homem agredindo a esposa (patroa de Denise). A diarista tentou impedir que a mulher fosse espancada pelo esposo, porém o homem se voltou contra Denise de maneira descontrolada começou a espancá-la com socos e chutes.

A vítima foi levada ao Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia, ficou uma semana internada, mas não resistiu aos ferimentos.

O suspeito estava escondido em uma empresa de reciclagem no Setor Pappilon Park. Ele vai responder por homicídio qualificado, por meio que dificultou a defesa da vítima e por motivo fútil.

Homem é presos suspeito de agredir e provocar morte de diarista, em Aparecida de GoiâniaHomem é presos suspeito de agredir e provocar morte de diarista, em Aparecida de Goiânia. Foto: Polícia Civil/Divulgação

O homem teve a imagem preservada, devido a Lei de Defesa da intimidade.  "A Constituição resguarda o direito da imagem e diz que ninguém será considerado culpado antes do trânsito em julgado. [A lei] não é um benefício ao preso, é um resguardo de um direito de que ele não seja linchado publicamente por algo que pode vir a ser inocentado.