19 de maio de 2024
Campo Grande 20ºC

BARBÁRIE | FEMINICÍDIO

Marcelo esganou Ana, matou a facadas e queimou o corpo na calçada

Vítima era ex-esposa do autor e o filho do casal foi usado como 'isca'

A- A+

Marcelo Ribeiro Martins, de 27 anos, esganou, matou a facadas e queimou o corpo da ex-esposa Ana Gabriela Gomes da Silva, de 18 anos, na 5ª.feira (16.fev.23), na Rua Laor Pereira Carneiro, no Bairro Shopping Park, em Uberlândia (MG). 

Segundo o boletim de ocorrência, o suspeito foi a um bar beber com um amigo após o feminicídio e antes de atear fogo no corpo da vítima.

Conforme o registro, Ana foi assassinada durante uma discussão por ciúmes. Ela foi desmaiada com um golpe "mata-leão" e depois recebeu várias facadas.

Ainda segundo a PM, o criminoso havia planejado o crime. 

Ao ser preso, Marcelo disse que estava se separando de Ana, com quem teve um filho de um ano e três meses. O criminoso estava com a criança na noite do crime e a mãe teria ido até o local para buscar a criança, momento em que foi questionada pelo autor sobre estar se relacionando com outros homens.  

Marcelo disse que ingeriu bebida alcoólica para "tomar coragem" de realizar o crime. Após ela chegar no imóvel, eles discutirem e ana se virar para pegar o bebê, foi golpeada com o mata-leão, até ficar desacordada. 

À polícia, Marcelo disse que em seguida enrolou o corpo de Ana a um cobertor que já estava preparado no quintal e deu uma facada no peito dela. A arma quebrou com o golpe, mas ele pegou outra faca e desferiu mais 13 golpes.

Em seguida Marcelo saiu e encontrou com um amigo e contou que havia matado a mulher dele. 

O amigo disse à PM que não acreditou no suspeito porque ele estava "doidão". Os dois foram até um bar, onde consumiram bebidas alcoólicas até meia-noite desta quinta.  

Após deixar o estabelecimento, o ex-marido da vítima voltou para casa e limpou as marcas de sangue no chão. Em seguida, ele ateou fogo no corpo junto a móveis e outros objetos na calçada de casa.  

A situação foi descoberta pela mãe e pelo padrasto do suspeito, que chamaram a PM.

Marcelo ainda pediu esconderijo para o amigo com quem esteve no bar, mas teve o pedido negado e acabou preso em flagrante.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o corpo em chamas na beira da calçada, em meio a pedaços de madeira e móveis. Optamos por não publicar essas imagens.