14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

NACIONAL | ACUSAÇÃO

"Não esperaria isso de um cara que eu chamava de pai", diz dançarino MC Maylon sobre estupro

A Polícia Civil deve receber nesta 6ª-feira (5.fev) as imagens das câmeras de segurança do hotel onde teria acontecido o estupro contra o cantor de dançarino carioca

Ao depor nesta 5ª-feira (4.fev) na 33ª DP (Realengo - RJ) o cantor e dançarino Maylon Douglas Pinto de Nascimento Adão, o MC Maylon, de 21 anos, declarou que havia tatuado em um dos braços o vocalista do grupo de pagode Molejo, Anderson Leonardo, o qual agora, acusa de o ter estuprado. “Estou passando por tratamento psicológico, minha família é a base de tudo. Eu não esperaria isso de um cara que eu chamava de pai, eu tatuei ele no meu braço, e ele ter feito isso comigo”, contou Maylon junto a sua mãe, Jupira, após serem ouvidos pela polícia por cerca de quatro horas na delegacia de 

A Polícia Civil deve receber nesta 6ª-feira (5.fev) as imagens das câmeras de segurança do hotel onde teria acontecido o estupro. 

O volcalista do Molejo também deve ainda hoje ir prestar depoimento. O gerente e um funcionário do hotel também devem ir à DP.  

Após deixar a delegacia, MC Maylon passou por um exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML), no Centro do Rio. O exame acabou por volta das 18h.

Segundo Maylon, antes do suposto estupro ele acreditava estar indo para uma reunião com o cantor do Molejo. “[Ele] Falou que era uma reunião sigilosa, e fez isso tudo comigo”, contou.

Conforme o MC, o crime aconteceu em dezembro do ano passado num hotel em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. O vocalista do Molejo teria chamado Maylon para a reunião e, quando já estavam no carro, Anderson Leonardo teria mudado a rota para o hotel.

De acordo com o delegado, Maylon apresentou a cueca com manchas de sangue e o sabonete usado no local. O material será encaminhado para análise em laboratório.

Em Nota, o Anderson Leonardo disse ter sido surpreendido com as acusações do MC e revelou que Maylon teria estado em eventos do cantor realizados após a suposta data do crime: 

"O Cantor [Anderson Leonardo] foi surpreendido, assim como todos, com o que foi veiculado na imprensa na data de hoje, não tendo qualquer conhecimento acerca do publicado em redes sociais ou mesmo em sede policial, vez que não foi intimado para prestar quaisquer informações, pelo que, não teve nem mesmo ciência do que consta do registro de ocorrência.

Esclarece ainda que lamenta profundamente as declarações envolvendo seu nome, refutando qualquer ato de violência contra quem quer que seja, negando categoricamente à acusação completamente falsa de agressão sexual feita em seu desfavor.

Ressalta, outrossim, que em mais de 30 anos de vida pública, jamais tivera seu nome ligado a qualquer ato criminoso ou que viesse a desabonar ou macular a sua imagem e carreira, seja de sua vida profissional ou pessoal.

Informa também que conhece a suposta vítima, mas jamais praticou os atos veiculados na imprensa, inclusive, tem conhecimento que a suposta vítima já esteve presente em diversas apresentações artísticas do Cantor, em ocasiões posteriores à falaciosa alegação, o que demonstra, claramente, que a narrativa publicada nunca ocorreu.

Assim, o cantor esclarece, por meio de sua assessoria, que os fatos publicados não são verdadeiros, repudiando veementemente os profissionais que praticam o jornalismo inverídico, sensacionalista e desarrazoado."

FONTE: G1