09 de agosto de 2022
Campo Grande 21º 17º

INTERIOR | AMAMBAÍ (MS)

Olenir e o filho são mortos a tiros na própria fazenda em MS

Suspeitos, encapuzados foram emboscados em mata da fazenda

A- A+

Olenir Nunes da Silva, de 50 anos, conhecido como ‘Nego Silva’ e seu filho, Antônio Alexandre Nunes da Silva, de 23 anos, foram mortos durante tentativa de roubo às 10h desta sexta-feira (14.jan.22), na propriedade rural da família, fazenda Peteĩ, numa região conhecida como “Choro”, às margens da MS-286, em Amambaí (MS).

Segundo o boletim de ocorrência, o caso é investigado como roubo qualificado, se a violência resulta em morte. Consta o número 53/2022, com extrato de histórico ainda em branco. 

Os investigadores disseram que por hora, sabe-se que Antônio foi antes do pai para a sede da fzenda, pois ele teria se comprometido em fazer o café. Olenir e um peão foram na caminhonete ver uma cerca, quando encontraram o grupo armado. O agricultor teria trocado tiros com o grupo e acabou morto, atingido no peito e na nuca. O peão, suspostamente conseguiu fugir a bordo da caminhonete. 

Diante disso, informações preliminares indicam que um grupo armado e encapuzado foi até a sede e fez Antônio Alexandre refém. Pouco ele foi executado com 1 do tiro na região do pescoço.

O corpo de Nego Silva ficou caído ainda do lado externo da casa. E o corpo de Atônio foi achado em um dos quartos. 

Ao lado da fazenda de Nego, mora o irmão dele. E foi esse que escutou os tiros e foi até o local e interceptou os criminos. Narram que houve intensa troca de tiros e o grupo armado recuou para uma mata. 

OPERAÇÃO 

A Polícia Militar diz que interior da casa estaria revirado e havia indícios que teriam tentado levar a caminhonete das vítimas. 

As policiais Civil, Militar, o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) e o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar de MS foram à região. No início da tarde helicópteros da polícia foram vistos sobrevoando uma mata próximo a fazenda.  

Os corpos de pai e filho foram retirados do local após levantamentos técnicos realizados por peritos da Delegacia Regional de Polícia Civil de Ponta Porã.  

Depois dos levantamentos periciais, os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Porã para serem submetidos a exames necroscópicos, posteriormente retornarão para Amambai para serem velados.