17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Para reduzir déficit, obras em presídios terão continuidade em governo de Azambuja

A- A+

Na manhã de hoje durante a troca de comando da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário),  na Acadepol (Academia de Polícia), na qual tomou posse o Tenente –Coronel Pedro César Figueiredo de Lima. Esteve presente também o secretário de segurança pública Silvio César Maluf.

De acordo com Figueiredo, hoje o sistema carcerário possui aproximadamente 13.400 detentos, tendo um aumento superior a quatro mil em oito anos e alcançando o déficit de dez mil vagas aproximadamente.

“A nossa pretensão é buscar junto ao Governo Federal condições para que as vagas sejam aumentadas, nós iremos fazer um projeto  para apresentar ao governador e com o apoio da União ter o aumento de nove mil vagas até o final de 2016”, disse Figueiredo.

O secretário de segurança garantiu que os três presídios que foram iniciados no mandato do ex-governador, André Puccinelli (PMDB), na região da Gameleira, terão suas obras continuadas, além da ampliação de presídios em municípios do interior do Estado, amenizando o déficit.

“Esses presídios (região da Gameleira) estão sendo construídos com verbas de convênio federal, são presídios que seguiram uma exigência, numa norma ativa própria de dinheiro público federal. Nós estamos ampliando todas as unidades e digo isso com a política de continuidade, de governabilidade que o nosso governador estabeleceu, não vamos deixar obras interrompidas”, garantiu Maluff.

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse que o sistema prisional não é só responsabilidade do Estado, mas também do governo federal, e por isso irá ao Ministério da Justiça na tentativa de alocar verbas para que o sul-mato-grossense tenha a segurança pública que merece.

Tayná Biazus