17 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

PMA faz operação no interior de MS e resultado é satisfatório

Uma equipe de Policiais Militares Ambientais, (PMA), de Naviraí realizou fiscalização nos municípios de Amambai, Caarapó e Juti, desde o dia 14, com término hoje às 6h00, fechou uma mineradora de areia ilegal e autuou dois fazendeiros por crime ambiental.

No primeiro dia da operação, (14), à tarde, em uma fazenda localizada às margens da rodovia MS 156, no município de Caarapó, os policiais surpreendam um fazendeiro que utilizava água de uma nascente para aplicar agrotóxico na agricultura. O infrator encostava o trator na área de preservação permanente (APP) da nascente, degradando o manancial, e puxava a água com uso de moto-bomba para o tanque de agrotóxico, podendo contaminar a água e em atitude totalmente contrária às normas legais para uso de agrotóxico. O trator e o agrotóxico foram apreendidos. O infrator também foi notificado a proteger a nascente e retirar o moto-bomba

O pecuarista, de 45 anos, residente em Caarapó foi levado à Delegacia de Polícia Civil daquela cidade e foi autuado por crime ambiental. Ele poderá pegar pena de um a quatro anos de reclusão. O infrator também foi autuado administrativamente e multado em R$ 5.000,00.

 A equipe continuou a fiscalização por terra e autuou outro proprietário rural, de 56 anos por exploração ilegal de madeira. Os policiais surpreenderam o autuado transportando 40 estacas de madeira da espécie angico, com um trator pela BR 163, no município de Juti, sem a autorização ambiental. A madeira explorada era utilizada em uma cerca da fazenda, onde já estavam instaladas mais 280 estacadas, perfazendo 320. O material foi apreendido.

O proprietário rural, residente em Juti foi autuado administrativamente e multado em R$ 1.800,00. Ele foi conduzido à delegacia de Polícia Civil de Juti e responderá por crime ambiental. A pena é de seis meses a um ano de detenção.

 Ontem à tarde, (18), a equipe abordou, na rodovia vicinal que liga Amambai a Aral Moreira, um caminhão com carga de 12 m³ de areia que estava sem nota fiscal. Os policiais foram até o local de onde estava sendo extraído o produto mineral e verificaram que a areia era retirada por uma draga do rio Cangury, onde havia mais 50 m³ explorados e uma máquina pá-carregadeira. O proprietário da mineradora afirmou ter nota fiscal do produto que estava no veículo e foi até o local e a apresentou. Porém, sua empresa não possuía licença ambiental para a retirada de areia do rio. Os veículos e os 52 m³ de areia foram apreendidos e as atividades foram interditadas.

O infrator, de 44 anos, residente em Amambai foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil da cidade e responderá por crime ambiental. A pena é de três a seis meses de detenção. Ele também foi autuado administrativamente e multado em R$ 5.000,00.

O autuado foi notificado a remover a draga do local e a recuperar a área degrada da margem do rio, onde estava instalado o equipamento.

Fonte: Assessoria de comunicação da Polícia Militar Ambiental - PMMS