22 de maio de 2024
Campo Grande 28ºC

VIOLÊNCIA POLICIAL | NACIONAL

PMs são flagrados fazendo a 'tortura do saco na cabeça' em comerciantes (vídeo)

Mulher foi obrigada a mostrar os seios aos PMs e assistiu seu marido ser espancadop

A- A+

Os soldados da Polícia Militar João Victor Alves Viana, de 25 anos, e Leanderson Alves da Silva, de 30 anos, estão presos preventivamente desde a 4ª.feira (4.jan.23), no Presídio Militar de Porto Alegre (RS). Três dias antes, no domingo (1º.jan.23), os dois foram flagrados torturando uma mulher durante abordagem em Novo Hamburgo (RS). Eles colocaram uma sacola na cabeça dela, após obrigar ela a mostrar o seios para eles.  

Na cena, flagrada em vídeo através da fresta de uma porta, é possível ver um policial cobrindo com uma sacola plástica da mulher, que está algemada. Eios o vídeo: 

A vítima conversou com a reportagem do jornal NH e alegou que, além dela, seu marido também foi torturado. "O pior é o trauma. Se eu fecho os olhos, vejo o policial na minha frente e escuto o barulho do saco na minha cabeça", disse a mulher de 30 anos, sob a condição de anonimato.   

Pelos relatos dela, dentro do bar, o esposo também foi subemtido a tortura do saco na cabeça, até perder o ar. Ele estava amarrado, levou chutes e 'pisões' da dupla de PMs. "Quem mais sofreu foi ele. Foi uma cena de terror", disse a mulher.  

O casal vítima da abordagem é proprietário de um bar aberto há três meses na cidade. Desde então, eles passaram a sofrer violência policial. 

A mulher revelou também que sempre era revistada por PMs homens durante as abordagens no local. Desta vez, ela foi abrigada a levantar a blusa e mostrar os seios aos PMs, para provar que não escondia drogas.

As abordagens violentas da PM no local sempre era em tom de ameaça, cometendo invasões ao estabelecimento sem mandado judicial. Após passar a mão pelo corpo da comerciante, eles agrediam o esposo dela e saiam levando dinheiro e bebida. 

INVESTIGAÇÃO

Na 3ª.feira (3.jan.23), o tenente-coronel Jacques Peiter do, divulgou nota dizendo ter tomado ciência do vídeo em que "dois homens fardados aparecem em condutas incompatíveis com a atividade policial militar".

Já na tarde de ontem, 6ª.feira (6.jan.23), o Inquérito Policial Militar (IPM) que investigava a conduta dos PMs foi concluído.

"Concluímos que existem indícios de crimes de natureza militar por extensão de tortura código penal militar, a serem imputados aos policiais militares investigados. Também ente transgressão da disciplina militar a serem imputados aos policiais militares investigados", disse o coronel Cláudio dos Santos Feoli, em coletiva de imprensa no município. 

Entre as transgressões citadas pelo coronel, está "faltar com a verdade; trabalhar mal intencionado em serviço; utilizar de sua condição de militar estadual para a prática de atos ilícitos ou que corporação; omitir, em quaisquer documentos, dados indispensáveis ao esclarecimento d regulamentar ou legal". O resultado do inquérito segue agora para a Justiça Militar.