25 de fevereiro de 2021
Campo Grande 34º 23º

Quem com ferro fere...

Polícia intercepta dupla que aplicava 'Golpe do Ferro', dando prejuízo de R$ 48 mil às vítimas no MS

A Delegacia Especializada no Combate ao Crime Organizado (Deco) apresentou na tarde de hoje (25) dois homens acusados de aplicarem golpes em negociações que envolviam venda de ferros em todo o país.

Para aplicar o chamado “Golpe do Ferro”, os acusados (Thiago Henrique Martins Anício, 30 anos e Ademir Cândido de Jesus, 62) se passaram por funcionários do DNIT (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) e da Gerdau e “atraíram” comerciantes da cidade de São Gabriel e Coxim, com a intenção de vender 20 toneladas de ferro pelo valor de R$ 48 mil reais. 

Modus Operandi 

A Delegada Ana Cláudia Medina, titular da Deco explicou que a dupla atraiu os comerciantes, com o intuito de vender a carga da Gerdau (ferro) a preço de ponta de estoque. Com o preço atrativo, a dupla levou as vítimas até o pátio da empresa, mostrou um caminhão que estava sendo carregado e para “dar credibilidade” e não levantar suspeitas, se apresentaram com crachás das respectivas empresas.

Posteriormente, foram levados até um posto de saúde do bairro Amambaí e ao efetivarem o pagamento no valor de R$ 48 mil reais, um dos homens pediu para esperarem enquanto um ia ao banheiro e o outro pegaria a suposta “nota fiscal”. Foi ai que após quase 30 minutos de espera as vítimas perceberam que o local onde estavam se tratava de um posto de saúde, por que viram funcionários entrarem “com roupa branca” no estabelecimento. Sendo assim, procuraram a polícia e os suspeitos foram interceptados no último dia 19. “Eles vem aplicando vários golpes em todo o país, o chamado “Golpe do Ferro”. Eles tinham bastante conhecimento de como agir e em quem aplicar, ou seja, bastante “estrada” nesse tipo de delito. Eles sabiam o que fazer para passar credibilidade com audácia de visitar as vítimas em seus estabelecimentos, quanto ir até estabelecimentos para passar segurança às vítimas, realmente agiam de forma cinematográfica”, explica à delegada. 

Os golpes já foram aplicados no Maranhão, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Paraná e no interior de São Paulo. A polícia conseguiu realizar a prisão após a dupla voltar de Goiás em uma tentativa frustrada de aplicar o mesmo golpe, porém só não teve êxito por que a vítima não conseguiu a quantia exigida pelos acusados. Os dois acusados responderão por crime de estelionato e associação criminosa.