28 de maio de 2024
Campo Grande 12ºC

FORÇA E PUDOR

Vereadores, PMs e empresários são indiciados por exploração sexual de menores

Cafetina oferecia "cardápio" de meninas de 14 a 18 anos para homens da alta cúpula de Bataguassu

A- A+

Quatorze suspeitos, entre eles vereadores, policiais militares e empresários foram indiciados nesta 6ª.feira (24.mar.23), no âmbito da operação 'Força do Pudor', da  Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Bataguassu (MS). Eles são apontados como clientes de uma rede de exploração sexual de menores.

Conforme os investigadores, o grupo está ligado à cafetina Darle Dina Dominical, de 31 anos, presa em fevereiro deste ano. O marido dela, R.L.M.A., de 51 anos, também foi preso em 8 de fevereiro. Eles respondem pelo crime de exploração sexual de menores, cuja pena varia de 4 a 10 anos de reclusão

A delegada titular da DAM em Bataguassu, Isabela Borin, disse que a cafetina já tinha sido condenada pelo mesmo crime em 2019. Ela seguiu atuando na exploração de menores e a delegada comentou que a suspeita acreditava que não seria presa, em razão de seus contatos e influências no município.

Darle recrutava meninas de 14 a 18 anos, para oferecer como "cardápio" aos homens da alta cúpula de Bataguassu. Cada 'programa' com as menores custava aproximadamente R$ 250. "Ela aliciava essas meninas, que faziam os programas em motéis, ranchos e pousadas", revelou a delegada.

Por vezes, as menores eram obrigadas a "trabalhar", apontou a investigação, que teve sigilos telefônicos e bancários quebrados. "Pegamos conversas da cafetina com as meninas, onde fala que o cliente estava esperando e apontava os locais. Ela constrangia, forçava a ir. Às vezes as meninas não tinham com quem deixar os filhos e ela forçava", comentou a titular.

*Com Campo Grande News