19 de maio de 2024
Campo Grande 18ºC

NACIONAL | BLUMENAU (SC)

Vídeo: 'Bebi, usei droga e matei ela com o meu filho, não sei porque'

Ele degolou o bebê e a esposa

A- A+

Kelber Henrique Pereira, de 28 anos, falou sobre os assassinatos cometidos na madrugada do domingo (24.jul.22): “Me deu vontade de usar droga porque eu bebi e, a hora que acabou minha droga, eu não me lembro do que aconteceu, mas eu acabei matando ela com o meu filho”, em vídeo (veja abaixo).

As vítimas citadas pelo criminoso eram sua companheira Jéssica Mayara Ballock, de 23 anos, e o filho mais novo, Théo Pereira, de 3 meses, encontrados degolados em um apartamento na Rua dos Caçadores, no Bairro Velha, em Blumenau (SC).

Depois do crime, Kelber fugiu e acabou preso na noite da terça-feira (26.jul.22) em Paulínia, no interior paulista. Segundo o delegado da Polícia Civil Ronnie Esteves, responsável pelo caso, a prisão foi realizada pela Polícia Militar do município.

Ele foi levado à uma delegacia em Bragança Paulista (SP), onde gravou um vídeo contando o que se lembrava de momentos antes do crime.

De acordo com o suspeito, na noite do sábado (23.jul), ele foi para um churrasco na casa do sogro e começou a beber. “Ele comprou cerveja, eu bebi. Fazia tempo que eu não bebia porque eu usava drogas antes. Parei de beber e usar droga”, disse. Após beber bastante, às 01h do domingo (24.jul), ele consumiu drogas e quando o intorpecente acabou, Kelber matou ela com seu filho. "Não sei como, que eu não me lembro muito, não sei... e a única coisa que eu pensei foi pegar meu pequeno e levar na casa da avó", narrou. Veja o vídeo: 

 

Segundo o delegado, Kelber foi encaminhado para Campinas (SP), para participar da audiência de custódia. Após a audiência, ele ficaria na cadeia pública anexa à Segunda Delegacia de Polícia de Campinas. "Para o preso ser transferido para Blumenau: “Depende do sistema prisional fazer a transferência do preso. A partir da audiência, iremos tratar a possibilidade de trazê-lo à Blumenau”, explicou o delegado.

SOBREVIVENTE

Jéssica e Kelber Pereira, tinham dois filhos, além do bebê assassinado, havia um de 1 ano e 10 meses. Esse que Kelber levou para a casa dos avós paternos, no interior de Minas Gerais.

Por meio de nota oficial assinada pelo escritório de advocacia Gonçalves, que representa a família, os avós apontaram detalhes de como Kalleb Pereira – filho de um ano e 10 meses de Jéssica e Kelber – chegou até eles em Munhoz (MG).

Segundo o documento, a família ficou sabendo do crime na segunda-feira, 25, após mensagens enviadas pelos familiares de Jéssica. Nesse momento, a mãe de Kelber tentou contatá-lo por diversas vezes, mas sem sucesso.

“Mais tarde naquele dia, o Sr. Kelber entrou em contato com sua genitora por telefone, momento em que a mesma rapidamente pediu que ele deixasse o filho com os avós maternos, e que se entregasse, vez que acreditava que este se encontrava no Estado de Santa Catarina, onde os pais de Jessica residem”,  relatam na nota.

Kelber teria então informado que não estava em Santa Catarina, mas que iria se entregar depois de deixar o filho mais velho com ela, em Munhoz. Ainda segundo a família, o neto chegou na casa deles de madrugada, juntamente com outros três homens – nenhum deles Kelber.

“Por volta das 00:30 do dia 26/07/2022, chegou na casa da genitora de Kelber três homens desconhecidos acompanhando o infante, inclusive um deles se apresentou como advogado do Sr. Kelber. Ressalta-se que a família não tinha conhecimento sobre o paradeiro do Sr. Kelber e que em momento algum este informou à sua família onde estava”. A família de Kelber repudiou o filho. 

Segundo os investigadores, Kelber Pereira foi visto em Bragança Paulista, na noite da segunda-feira (25), onde morou antes de se mudar para o sul do país. Os policiais fizeram diligências na noite desta terça para tentar cumprir a prisão temporária decretada pela Justiça contra o suspeito.

De acordo com a polícia, ao ser abordado, ele desceu do veículo e se entregou. O suspeito disse que estava em Paulínia para procurar ajuda em uma clínica de reabilitação.

Segundo a polícia, ele confessou o duplo assassinato e disse se lembrar apenas de ter visto a casa suja de sangue.

O carro que o Kelber utilizou foi apreendido. O suspeito deve ser encaminhado para Blumenau para responder à Justiça de Santa Catarina.

*Com O Município de Blumenau.