08 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

CULTURA

1º Prêmio Campo Grande ao Teatro revela os vencedores nesta 6ª-feira (22.jan)

Três grupos receberão R$ 4 mil cada, além de troféus e homenageados; evento será transmitido ao vivo

A primeira edição do Prêmio Campo Grande ao Teatro acontece hoje, 6ª-feira (22.jan.21), às 19 horas no Teatro Glauce Rocha, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em Campo Grande. O evento terá transmissão ao vivo nas redes sociais. Nesse dia serão apresentados os espetáculos vencedores nas categorias “adulto”, “infantil” e “de rua”, além da entrega da homenagem pelos anos de contribuição à cultura de Mato Grosso do Sul, aos artistas Bianca Machado (Corumbá), Emmanuel Marinho (Dourados) e Edilton Ramos (Campo Grande).

Para o ator e diretor Espedito Di Montebranco, realizar o prêmio mesmo durante a pandemia do novo coronavírus foi importante para mostrar a força do teatro sul-mato-grossense. “Mesmo com as dificuldades, o prêmio vem para reconhecer e mostrar que a arte teatral, uma das mais antigas, jamais morrerá. Feliz por estar aqui com tantos amigos no Teatro Glauce Rocha, vendo tantos trabalhos maravilhosos. Tantos artistas que não pararam de ensaiar e agora tem a chance de mostrar e receber um prêmio”, explica.

Os espetáculos que concorrem ao prêmio desta noite se inscreveram previamente e precisaram apresentar o trabalho no Teatro Glauce Rocha. Apesar da ausência do público, o júri estava presente para realizar a seleção dos vencedores. “Terminamos com alegria. Tomamos todas as medidas de segurança e chegamos ao final saudáveis e mais esperançosos com certeza, esperando a hora em que possamos chamar nosso público para vir nos ver”, pontua Di Montebranco.

JÚRI E HOMENAGEADOS

O júri do Prêmio contou com a participação dos homenageados da noite, a atriz Bianca Machado (Corumbá), o poeta, ator e educador brasileiro Emmanuel Marinho (Dourados) e o ator e diretor Edilton Ramos (Campo Grande).

“Ser homenageado pelos serviços prestados a favor da cultura, do teatro e toda a minha história de vida, junto com a Bianca e o Edilton, é uma alegria muito grande. A arte é vida, é uma coisa muito boa, muito bem-vinda”, acredita Emmanuel Marinho. Para ele, ser jurado também foi uma experiência maravilhosa. “Porque eu estou podendo assistir, mesmo que a distância, assistindo os espetáculos, conversando com os outros jurados, discutindo sobre os espetáculos, pensando, refletindo, lendo, fazendo uma leitura de cada ator, de cada espetáculo, de cada texto. Isso tem sido uma coisa muito prazerosa”, acredita Emmanuel, que por integrar o grupo de risco para o novo coronavírus, optou por acompanhar os espetáculos pela internet.

A atriz Bianca Machado, que atua desde 1975 no Estado, ficou emocionada com a homenagem desde o convite inicial. “Ser homenageada já me encheu o coração quando ele me fez a proposta para o projeto. Eu já me senti homenageada naquele momento, independente do projeto acontecer ou não”, frisa. Para ela, o maior presente foi ver o prêmio acontecer, apesar de todos os desafios que o coronavírus trouxe e ter a oportunidade de ver os trabalhos de tantos artistas talentosos.

Sentimento compartilhado pelo ator e diretor Edilton Ramos. “Agora a tarefa de julgar os trabalhos é bastante difícil, porque quando a pessoa está no júri, ela tem o conhecimento da área, mas ela não trabalha na área, a pessoa não conhece as dificuldades pelas quais as pessoas passam. Meu olhar para as peças que estão sendo mostradas no teatro não tem sido crítico, vai além do que a gente vê no palco. Porque a gente conhece todas as dificuldades, desde as financeiras que as pessoas têm e até mesmo as dificuldades para se conseguir ensaiar uma peça”, frisa Ramos.

ESPETÁCULOS

Na categoria “adulto” concorrem ao prêmio os espetáculos “Eu me auto me apresento a mim mesmo a vocês”, de Luciano Risalde; “Cérebro Edgar”, da Teatral Falta Um; “O Diário de Madalena”, do Grupo Palco.

Já entre os espetáculos infantis estão concorrendo os espetáculos “A Fabulosa História do Guri-árvore”, da Cia Teatral Fulano Di Tal e “O Sapo Encantado e Outras Histórias”, do Grupo Teatral Unicórnio;

Por fim, na categoria “espetáculo de rua” estão participando os espetáculos “Areotorare”, do Teatro Imaginário Maracangalha e “Espetáculo: Revolução”, do Teatral Grupo De Risco.

Os melhores espetáculos teatrais nas categorias “adulto”, “infantil” e “espetáculo de Rua” serão premiados com o valor de R$ 4.000,00 (quatro mil reais) e um troféu. Também serão entregues troféus nas categorias “melhor ator”, “atriz”, “texto original”, “cenografia”, “figurino”, “iluminação (criação)”, “Melhor operação de Iluminação”, “Melhor sonoplastia (criação)” e “direção” e “melhor espetáculo”.

Além dos homenageados, o prêmio teve um júri popular formado por integrantes dos próprios grupos e alguns convidados.

A premiação tem investimentos do Programa Municipal de Fomento ao Teatro, da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e Prefeitura Municipal de Campo Grande (Fomteatro/Sectur/PMCG), com apoio da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

SERVIÇO

Devido à pandemia do novo coronavírus, o evento é fechado e não terá plateia. As peças que concorreram ao prêmio serão disponibilizadas gratuitamente, no site oficial da Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande (Sectur). Para acompanhar a entrega dos pêmios, acesse o perfil fb.com/espedito.dimontebranco.