28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

NÃO PODE?

Época que dólar era R$ 1,80 até doméstica ia para Disney, diz Guedes

"Câmbio estava tão barato que todo mundo estava indo para a Disneylândia", completou o ministro da Economia

Recorde pela quarta vez consecutiva a alta do dólar bateu os R$ 4,35 nessa quarta-feira (12), valorizado em 8,5% desde o início de 2020. Questionado sobre a alta que causa grandes danos a economia brasileira, o ministro da Economia do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), Paulo Guedes, ironizou. “Empregada doméstica indo pra Disneylândia, uma festa danada. Mas espera aí? Espera aí. Vai passear ali em Foz do Iguaçu, vai ali passear nas praias do Nordeste”, disse o ministro. O ministro percebeu que a declaração não iria bater bem e tentou consertar. “Antes que falem ‘ministro diz que empregada doméstica estava indo para a Disneylândia’, não. Ministro está dizendo que o câmbio estava tão barato que todo mundo estava indo para a Disneylândia, até as classes sociais mais baixas.”, o que piorou a primeira afirmação. 

Com sua reforma administrativa travada, Guedes passa por uma pressão com o Planalto. 

O secretário-geral da Presidência, Jorge Oliveira e Lorenzoni convenceram Jair Bolsonaro de que o texto exige cautela antes de envio para o Congresso. No ministério da Economia se avalia que a trava é para blindar os servidores públicos. A proposta visa mudanças no regime de contratação e planos de carreira. Apesar dos pedidos de Guedes, Bolsonaro tem indicado a aliados que só pretende entregar o texto em março. Enquanto Guedes tem pressa para que a reforma seja analisada antes do segundo semestre, quando a maioria dos parlamentares estarão dedicados às eleições.

Esta posição errática de Bolsonaro, que não parece convicto a respeito das reformas, gera receios também entre analistas. O medo é de que o crescimento econômico termine antes mesmo de começar, “um voo de galinha”, pontua alguns especialistas. 

Fonte: Meio.