23 de outubro de 2020
Campo Grande 33º 22º

Mercados financeiros vivem mais um dia de pânico no mundo

Bolsa deve desabar novamente no Brasil e a tendência é de alta acentuada do dólar

"As ações caíram globalmente, juntamente com os futuros das ações americanas, após um aumento no número de mortes por coronavírus e uma falha do Congresso dos EUA em concordar com um plano de ajuda. Os títulos do governo subiram. O Stoxx Europe 600 abriu abruptamente em baixa, liderado por ações de assistência médica, enquanto os líderes se esforçam para impor mais restrições aos movimentos das pessoas.

Os contratos futuros de S&P 500 caíram 5% para o limite diário no início das negociações, antes de diminuírem à medida que a sessão avançava. As ações na Austrália, Coréia do Sul e Hong Kong também caíram, enquanto as da Índia caíram mais de 10% e a rúpia afundou em seu nível mais fraco já registrado em meio a movimentos em direção a um bloqueio nacional", aponta reportagem da Bloomberg nesta manhã,

"Os investidores estão começando a semana examinando relatórios de previsões econômicas cortadas e as lutas dos países europeus para conter a pandemia, com 2.000 mortes no fim de semana passado apenas na Itália e na Espanha. Nos EUA, os democratas impediram o Senado de avançar com um pacote maciço de ajuda, enquanto a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse que a medida estava aquém de seus objetivos. O Morgan Stanley alertou que a epidemia pode fazer com que o PIB americano encolha um recorde de 30% no segundo trimestre. O presidente do Banco Federal de St. Louis, James Bullard, disse que a taxa de desemprego pode atingir 30%", informa ainda a agência.