05 de dezembro de 2020
Campo Grande 30º 24º

ALERTA

Pesquisa mostra gasolina a quase R$5 em Campo Grande

Levantamento feito para identificar os preços abusivos foi furtado

Levantamento aponta variação de mais de 10% no preço da gasolina entre os estabelecimentos de Campo Grande. O litro do combustível é vendido a R$ 4,729 para pagamento à vista no dinheiro e chega a R$ 4,879 quando o pagamento é no cartão de crédito. Já o litro da versão aditivada da gasolina chega a R$ 4,929 tanto no pagamento em dinheiro quanto no cartão.

A pesquisa foi realizada pela Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS), em 122 postos de combustíveis em Campo Grande, no período de 13 a 21 de fevereiro. O Correio do Estado teve acesso em primeira mão aos dados que foram furtados da sede do Procon na Capital. De acordo com a Superintendência, as informações do levantamento estavam armazenados no notebook que foi subtraído da sede da entidade, localizada na Rua 13 de Julho, centro de Campo Grande, na madrugada de quinta-feira (20).

O objetivo do estudo era de identificar os postos de combustíveis que estariam cobrando preços abusivos do consumidor. Na tarde de quarta-feira (19), o superintendente do Procon, Marcelo Salomão, foi ao Ministério Público de Mato Grosso do Sul para oferecer os dados da pesquisa, que indicavam a formação de um suposto cartel dos donos de postos de combustível. “Tivemos de colher alguns dados após o furto. Nós tínhamos 70% do material armazenado na nuvem, dos outros 30% recuperamos um pouco e refizemos a coleta de dados de outra parte”, disse Salomão.

Desde o dia 12 deste mês, quando houve alteração nas alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da gasolina (subiu de 25% para 30%) e do etanol (caiu de 25% para 20%), o Procon deu início a blitze nos postos de combustíveis. Houve mais de 50 notificações.

Pesquisa realizada entre 13 e 21 de fevereiro pelo Procon-MS em 122 estabelecimentos da Capital - Procon-MS.

VALORES

O menor preço do litro da gasolina comum, para o pagamento a vista em dinheiro e no débito, foi de R$ 4,299, encontrado no posto localizado na Avenida Costa e Silva. Enquanto o maior valor para a versão comum do combustível ficou em R$ 4,729, em posto situado na BR-163, variação de 10%. O menor preço para o combustível comercializado no crédito foi de R$ 4,369, em estabelecimento da Rua Yokohama, na Vila Palmira, e o maior valor (R$ 4,879), na Avenida Carlindo Pereira Contar, no Bairro Danúbio Azul, variação de 11,67%.

“Encontramos uma variação de 10% na gasolina e de 14% no caso do etanol. Por isso a gente reforça a importância da pesquisa. Se o consumidor pesquisar e comprar do mais barato, com certeza os postos que vendem mais caro vão reduzir. A variação não é tão alta, mas é importante que o consumidor esteja atento”, afirmou Salomão.

No caso da gasolina aditivada, o valor mínimo foi o mesmo que da comum (R$ 4,299) no dinheiro e no débito. O preço máximo do combustível chegou a quase R$ 5, sendo encontrada a R$ 4,92 no posto localizado na BR-163, para pagamentos a vista e no crédito.

O litro do etanol só compensa ao consumidor quando for de até 70% do valor da gasolina. Conforme a pesquisa do Procon, o combustível ainda não é uma boa opção. Para pagamento no dinheiro e no débito, o menor valor encontrado foi de R$ 3,349, na Rua 26 de Agosto, Centro. Já o maior valor para o litro ficou em R$ 3,809, na Rua José Nogueira Vieira, Bairro Tiradentes, variação de 13,73%.

Para o pagamento no crédito o valor mais baixo para o litro foi de R$ 3,370, no posto localizado na Avenida Mascarenhas de Moraes, Coronel Antonino. E o maior valor praticado no crédito (R$ 3,809) foi no estabelecimento da Rua José Nogueira Vieira, Bairro Tiradentes.

A diferença no valor do diesel S-10 foi de 15,99% S 10 na modalidade de venda  por meio do cartão de crédito, uma vez que o produto pode ser encontrado  por R$ 4,14 no posto da Avenida Zila Correa Machado, no Maria Aparecida Pedrossian, e o mesmo produto, na mesma modalidade é vendido por R$ 3,59 na Avenida Calógeras, Centro.

Para pagamentos em dinheiro, o diesel S-10 foi comercializado a R$ 3,540, na Rua da Divisão, Bairro Parati. E o maior valor para o litro (R$ 4,050) é comercializado na Avenida Ernesto Geisel, Bairro Amambaí, diferença porcentual de 14,40% entre o menor e o maior valor.

Enquanto isso, o diesel S500 variou 12% no pagamento à vista. Foi de R$ 3,519, na Rua Spipe Calarge, Vila Portinho Pache, até o maior valor, que ficou em R$ 3,950, na Avenida Ernesto Geisel, Bairro Amambaí.SaibaA pesquisa completa pode ser encontrada no site do Procon Estadual. Foram pesquisados preços de produtos enfocando valores em diversas modalidades (à vista em dinheiro, cartões de débito e de crédito) de produtos como gasolina comum e aditivada, etanol e diesel S-500 e S-10, totalizando 15 itens pesquisados.

SAIBA

A pesquisa completa pode ser encontrada no site do Procon Estadual. Foram pesquisados preços de produtos enfocando valores em diversas modalidades (à vista em dinheiro, cartões de débito e de crédito) de produtos como gasolina comum e aditivada, etanol e diesel S-500 e S-10, totalizando 15 itens pesquisados.

Fonte: Correio do Estado.