20 de setembro de 2020
Campo Grande 27º 19º

Estudante de direito

Adolescente de 15 anos vai responder por morte de estudante de direito

Como o autor tem 15 anos, é enquadrado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, que prevê internação de até 3 anos

A Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude) concluiu as investigações sobre a morte da estudante de Direito, Luana Farias de Oliveira, de 20 anos, e indiciou o adolescente de 15 anos, responsável pelo crime, por homicídio doloso – quando há intensão – com “erro na execução”, já que o alvo do crime não era a jovem.

Luana foi atingida na carótida, artéria que fica no pescoço, por golpe de garrafa de vodka durante baile funk no Centro Comunitário do Bairro Universitário, na madrugada do dia 3 de novembro.

Segundo a polícia, no dia do crime, o adolescente estava com uma menina de 15 anos, que encontrou o ex-namorado na festa. O rapaz “pedir satisfações” ao casal. Depois disso, a jovem pegou uma garrafa de vodka e desferiu o golpe que atingiu Luana. Em depoimento mentiu, e afirmou que foi embora logo após a confusão.

Ao Campo Grande News, a delegada Ariene Nazareth Murad de Souza explicou que as investigações comprovaram que o adolescente tinha a intenção de atingir o ex-namorado da menina que estava com ele, mas acabou ferindo Luana por engano. Por isso vai responder por ato infracional equivalente a homicídio doloso, já que agiu com intensão de ferir.

Como o autor tem 15 anos, é enquadrado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, que prevê internação de até 3 anos para crimes como o de homicídio.

A investigação da delegacia especializada ainda indiciou o organizador da festa por fornecer bebida alcoólicas para menores de idade.