30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

CAMPO GRANDE

Artistas denunciam posicionamento "rude" de secretária de Cultura na Capital

Edital de auxílio à classe é utilizado pela secretária como edital de continuidade de políticas culturais

O Governo do Estado publicou edital de seleção para artistas se apresentarem pela internet durante a pandemia de coronavírus. Em Campo Grande, durante live ao vivo nessa manhã, (2.abril) a secretária de Cultura e Turismo, Melissa Tamaciro ignorou perguntas de participantes da live, tais como, quando sairá o edital de ‘auxílio’ do município? Melissa ainda chegou à dizer, quando questionada sobre a burocracia, que o artista que não quiser participar, não precisa. No entanto, alguns aristas já sofrem com a fome em seus lares em Campo Grande não é uma opção para eles deixar pessoas que amam passar nescessidade.  

O município não pegou o estado como exemplo. Já que estão proibidas aglomeração de pessoas, muitos artistas estão sofrendo com a falta de renda, o artista é o principal afetado, pois vive da casa cheia. E um edital nesse momento não poderia, segundo a categoria, ser tratado como edital de continuidade de política cultural e sim um edital de auxílio. "Querem que criemos algo ruim para sujar nosso trabalho? Em casa, sozinho, sem outros profissionais, gravando com celular, algo inédito... Como isso pode ficar bom? E quando perguntamos a pessoa é rude com a gente?", questionaram os artistas.  

Melissa junto com técnicos da Sectur, promoveu a live com intuito de apresentar encaminhamentos técnios para um edital que 'ainda está sendo pensado', em meio a pandemia do coronavírus.   

O diretor, ator e produtor, representante do Grupo Teatro Imaginário Maracangalha, Fernando Cruz, que atua desde 2006 em Campo Grande, classificou a equipe e posicionamento da secretária de Cultura e Turismo como ‘incompetente’. “A equipe demonstra despreparo e incompetência. Sem a mínima noção do que é arte e cultura e situação de emergência. Depois de tantas sugestões a partir da classe artística (fórum e colegiados) além dos editais de outras regiões do País (já em andamento) fica nítido que não fomos ouvidos e que nem sequer pesquisaram. A burocracia e a incompetência da secretaria coloca a vida dos trabalhadores da cultura em último plano e essa é a pior pandemia!”, opinou. 

Outro problema apresentando nessa manhã, na live, segundo os artistas, é maior quando, conforme os técnicos e a secretária, solicitam vídeos e conteúdos inéditos, que segundo os técnicos deveria serem criados especialmente para o edital. 

O artista do teatro e circo, Anderson Lima, disse que a gestão está preocupada com o comércio. "Tratando a arte como mercadoria, nesse momento que está todo mundo pensando em preservar a vida. Uma mulher, minha vizinha, artesã, com 70 anos de idade, que o celular dela ainda é um celular que só recebe ligação. Como ela vai poder disputar? Ela vai ter que receber visita? E aí, o perigo de levarem o vírus para a casa dela. Eles falaram ainda de arquivos que vão ter que ser enviados pelo Correio. A gente vai quebrar a quarentena para atender um edital burocrático? Estão deixando a questão humana de lado. Que não demonstra nenhum tipo de segurança para a gente achar que estamos sendo representados. Incompetência pura”, criticou Lima. 

A reportagem falou com o prefeito de Campo Grande que esteve ao vivo no final dessa manhã (2.abril) no programa ‘O Povo na TV’.  Marquinhos Trad (PSD), se posiciona humanizado frente aos problemas provocados pelo coronavírus. Bastante elogiado por suas ações, tais como entrega de alimentos pessoalmente às pessoas carentes na Capital. Ele esteve reunido com representantes da classe, há dois dias, e na ocasião, se comprometeu que a prefeitura quitaria contratos até amanhã (sexta-feira.3.abril). Quanto a live feita pela Secretária, Marquinhos disse que ligaria para Melissa para entender o problema. 

Ao final da live, a secretária chegou a dizer. "Isso não vou nem responder", sobre uma das perguntas. Ainda segundo os artistas, alguns chegaram a ser bloqueados na live ao vivo ao questionar a Secretária. “Quem será que vai conseguir se habilitar diante de tantas restrições? Este é um ato típico "para inglês ver”", disse um artista literário. 

Músicos também reagiram ao posicionamento da secretária. Em um grupo fechado de músicos da Capital. Eles chegaram a dizer que irão fazer um acordo de "ninguém participar" do edital, que para eles é desrespeitoso.  

O MS Notícias entrou em contato com a Sectur por e-mail, para ouvir a secretaria de Cultura e Turismo sobre as denúncias, mas não recebeu reposta até o fechamento da reportagem. O espaço fica aberto para respostas. Como a secretária anunciou na live que o vídeo na rede social é o único portal oficial. Abaixo o vídeo na íntegra:  

 EDITAL DO ESTADO

O governo publicou hoje (2.abril) o edital com objetivo deste de selecionar até 722 (setecentos e vinte e dois) artistas de todas as áreas artístico-culturais, em especial das seguintes áreas e/ou seguimentos abaixo, organizados em grupos ou individualmente (artistas solos), pessoas físicas ou microempreendedores individuais, as inscrições estarão abertas no período de 2 a 13 de abril nas áreas de Artes Cênicas (circo, dança, teatro); Música; Artes Visuais; Audiovisual; Artesanato; Literatura; e Patrimônio Cultural.

 No edital da Secretaria Estadual de Cultura, os valores de auxílio variam de R$ 1,8 mil a R$ 7,2 mil dependendo do grupo.

As inscrições vão até dia 13. Veja o edital abaixo, a partir da página 35: