22 de setembro de 2020
Campo Grande 27º 18º

Investigação

Em nota, dono do Shopping China nega envolvimento com doleiro dos doleiros

Dario Messer teria ficado escondido por dois meses na fronteira com Ponta Porã

Em nota, o dono do Shopping China, Felipe Cogorno Alvarez, na fronteira com Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, negou qualquer envolvimento com o ‘doleiro dos doleiros’ Dario Messer, preso desde julho deste ano depois da deflagração da Operação Câmbio, Desligo pela Polícia Federal.

Cogorno afirmou que apenas conhecia Messer no âmbito social como tantos outros empresários no Paraguai. Ele também afirmou que nunca fez qualquer operação financeira para o doleiro ou sua noiva Myra de Oliveira. O empresário ainda lamenta o fato do nome dele estar envolvido no crime de lavagem de dinheiro.

Felipe Cogorno teve mandado de prisão expedido pela 7º Vara Criminal do Rio de Janeiro, no dia 19 deste mês durante a deflagração da Operação Patron, que prendeu 20 pessoas que teriam envolvimento com o doleiro.


Operação

Foram 37 mandados sendo 16 mandados de prisão preventiva, 3 mandados de prisão temporária e 18 mandados de busca e apreensão, cumpridos nas cidades de Rio de Janeiro e Armação dos Búzios, grande São Paulo e Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai, no dia 19 deste mês.

A operação foi realizada contra organização criminosa ligada ao doleiro Dário Messer, que foi preso em julho deste ano. A operação faz parte de um desdobramento da Operação Câmbio Desligo, em julho deste ano. A finalidade é de reprimir os crimes de lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa, cometidos pelo núcleo que continuou as práticas criminosas para apoiar a fuga de Dario Messer, que foi preso em São Paulo em julho, ocultando o foragido e seus bens.